Treinador quer que equipe mantenha regularidade e traça objetivos curtos para os jogadores cumprirem

Se fosse uma competição de atletismo, o Campeonato Brasileiro , pelo menos para o técnico Caio Júnior , seria uma maratona olímpica. A comparação feita pelo treinador do Botafogo , ajuda a explicar a meta traçada para a competição, na qual o clube estreia no próximo domingo, contra o Palmeiras . Prevendo dificuldades, Caio Júnior espera que a equipe tenha maturidade para atravessar os momentos de instabilidade sem perder muitos pontos na tabela, como um corredor que controla o ritmo da prova.

Siga o iG Botafogo no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

"Na maratona, existem momentos que se você não tomar água, não der uma recuperada e souber administrar o ritmo, a dificuldade, não consegue chegar no final da prova. Essa experiência eu já tenho, pois já cheguei com equipes 'inteiras' com três clubes, disputando o título e vagas para a Copa Libertadores. Espero que o time tenha maturidade para atravessar esses períodos de dificuldade sem ter uma queda", declarou Caio Júnior.

Para manter a equipe em clima de decisão durante todas as 38 rodadas, Caio Júnior já traçou um planejamento, dividindo os jogos em blocos menores, estipulando objetivos curtos. A primeira meta é somar pontos nas quatro primeiras partidas, contra Palmeiras , Santos , Ceará e Coritiba .

"Vamos  por etapas, objetivos curtos. Isso faz com que o jogador pense de uma forma mais curta e acho que ajuda no trabalho. Se você deixar meio vago, meio aberto o planejamento, acho que perde um pouco o foco. Não vou divulgar muito isso, mas vamos trabalhar com metas nos primeiros quatro jogos, que serão importantíssimos. Será uma sequência duríssima", disse o treinador do Botafogo.

Uma vantagem que o treinador do Botafogo acredita ter, é a oportunidade de disputar os clássicos cariocas, mesmo quando não for o mandante, no estádio Engenhão, já que o Maracanã permanece fechado para reforma , visando a Copa de 2014. Ele lembra que no ano passado, o clube perdeu apenas um jogo em casa.

"Temos que saber jogar no Engenhão, pois é um estádio que permite um bom futebol. Temos que manter esse números do ano passado e melhorar fora de casa. O Botafogo é praticamente a única equipe que vai jogar mais em casa, por causa do Maracanã fechado. Isso é um ponto positivo, a gente viaja menos, se desgasta menos", analisou o técnico.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.