Tamanho do texto

Em partida morna, atacante quase faz de bicicleta, erra chance clara, marca e sai dançando

A Portuguesa não vencia o Palmeiras desde o Paulistão de 2005, quando fez 2 a 1 sobre o rival. Parecia que o tabu seria quebrado depois que Maylson abriu o placar para a equipe do Canindé, no início do segundo tempo. Mas, quando os torcedores já desanimavam, o time alviverde buscou a reação e contou com um gol de Ricardo Bueno , jogador muito contestado pela torcida, para empatar por 1 a 1. O Palmeiras manteve-se invicto no Estadual , enquanto a equipe rubro-verde ainda não triunfou.

Confira a classificação atualizada do Campeonato Paulista

Bueno, um dos personagens do jogo, havia perdido uma chance incrível de empatar na metade do segundo tempo, quando deu um plástico "chute do escorpião" e desperdiçou em cima da linha. Diferente do que aconteceu contra o Bragantino , porém, ele foi mantido em campo pelo técnico interino Flávio Murtosa. Acabou retribuindo com o tento do empate, comemorado com dança em frente à torcida. Na primeira etapa, ele também brilhou ao quase marcar de bicicleta. Maikon Leite , mais uma vez, saiu do banco de reservas e foi decisivo.

Veja as fichas de Maylson , autor do gol da Portuguesa, e de Ricardo Bueno , do Palmeiras

A novidade da noite ficou por conta da estreia do meia Daniel Carvalho , que foi a campo ainda um tanto fora de forma. O camisa 83 mostrou a habilidade de sempre e ajudou o time a se reencontrar, colocando a bola no chão. Pelo lado da Portuguesa, o destaque foi o meia Henrique , assediado pelo Corinthians no começo do ano. Ele deu chutes perigosos e foi o jogador mais lúcido da Lusa na partida.

Futura Press
Ricardo Bueno fez de tudo nesta quarta: quase marcou de bicicleta, perdeu gol feito e anotou o tento do empate palmeirense
Ainda sem o técnico Luiz Felipe Scolari, que terá que cumprir mais um jogo de suspensão, o Palmeiras volta a campo no próximo domingo (29), às 17h (horário de Brasília), para enfrentar a Catanduvense, fora de casa. Já a Portuguesa recebe o Guaratinguetá no sábado (28), às 19h30. As duas partidas são válidas pela 3ª rodada do Campeonato Paulista.

O jogo
A partida parecia que ia começar quente, com a primeira finalização saindo aos oito segundos: Luan mandou uma bomba de fora da área e obrigou Weverton a espalmar por cima. Mas era só impressão: os dois times travaram as ações no meio-campo, com Marcos Assunção (vestindo a camisa 100), do Palmeiras, e Henrique , da Portuguesa, tentando passes de maior qualidade. Só aos 10 as torcidas voltaram a ter emoção. Primeiro, Henrique soltou o pé e Deola espalmou bem. Depois, Ricardo Bueno bateu no canto, para boa defesa do goleiro da Lusa.

VEJA TAMBÉM: Daniel Carvalho pede vitórias para "esquecerem seu peso"

Criticado pela torcida na vitória do Palmeiras sobre o Bragantino, Bueno estava a fim de mostrar serviço. Aos 34min, ele dominou na meia-lua e bateu de esquerda, mas a bola raspou na trave e saiu. Seu lance mais bonito, porém, aconteceu cinco minutos depois: o camisa 9 recebeu cruzamento e arriscou uma bicicleta da marca do pênalti. O chute saiu na veia, mas a bola foi à direita do goleiro Weverton. Com muitos passes errados (53), o primeiro tempo ficou mesmo no 0 a 0.

E AINDA: Palmeiras tem reunião nesta quinta-feira para acertar com lateral do São Caetano

O Palmeiras voltou para a etapa final com a mesma alteração que rendeu a vitória na primeira rodada do Paulistão: saiu Tinga e entrou Maikon Leite . Logo aos 3min, Assunção teve a chance de se consagrar em seu 100º jogo pelo time alviverde, mas Weverton estragou sua festa fazendo linda defesa em cobrança de falta. A Lusa respondeu pouco depois: Marcelo Cordeiro cruzou e Maylson , livre, só empurrou para as redes. Após sofrer o gol, o Palmeiras foi à frente, mas, com Valdivia bem marcado, pouco produzia.

A solução foi tentar na correia de Maikon Leite. Após boa jogada do ponta, Ricardo Bueno conseguiu perder gol incrível: em cima da linha, ele deu um "chute do escorpião" e carimbou a trave da Lusa. Para tentar apertar, o técnico interino Flávio Murtosa promoveu a estreia de Daniel Carvalho , ainda fora de forma. Com bons passes, o camisa 83 ajudou a acalmar o time e colocar a bola no chão. A marcação da da equipe do Canindé, porém era boa, e os espaços eram raros. Mas Maikon Leite não ia desistir tão cedo: aos 35min, ele cruzou da direita e Bueno colocou para dentro, decretando o empate no clássico.

FICHA TÉCNICA - Palmeiras 1 x 1 Portuguesa
Campeonato Paulista - 2ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo-SP
Data: 25 de janeiro de 2012, quarta-feira
Horário: 22h (horário de Brasília)
Público: 8668 torcedores
Renda: R$ 245.216,00
Árbitro: Leonardo Ferreira Lima
Assistentes: Fabio Luiz Freire e Maiza Teles Paiva
Cartões amarelos: Henrique (PAL); Maylson (POR)

GOLS:
PALMEIRAS: Ricardo Bueno, aos 35 minutos do segundo tempo
PORTUGUESA: Maylson, aos 5 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Deola; Cicinho, Henrique, Leandro Amaro e Juninho; Márcio Araújo, Marcos Assunção (João Vítor), Tinga (Maikon Leite) e Valdivia; Luan (Daniel Carvalho) e Ricardo Bueno Técnico: Flávio Murtosa

PORTUGUESA: Weverton; Luís Ricardo, Leandro Silva, Renato e Marcelo Cordeiro; Boquita, Léo Silva, Maylson (Raí) e Henrique; Vandinho (Rafael Oliveira) e Edno Técnico: Jorginho