Tamanho do texto

Alexandre Pato fez gol aos 24 segundos, depois o time catalão dominou a partida, mas sofreu um gol de Thiago Silva nos acréscimos

AFP
Alexandre Pato comemora gol marcado com menos de um minuto de jogo
Aos 24 segundos de jogo, com um rápido gol de Alexandre Pato, o Milan já mostrou que poderia surpreender o Barcelona em pleno Camp Nou. O time catalão ainda reagiu, contou com gols de Messi e Villa, teve 75% da posse de bola durante o jogo, mas foi castigado nos acréscimos, com gol marcado pelo também brasileiro Thiago Silva. E assim a estreia dos times na Liga dos Campeões de 2011/2012 terminou 2 a 2.

Veja a tabela da Liga dos Campeões

O técnico do Barcelona, Guardiola, voltou a apostar em uma escalação sem zagueiros. Mas os três improvisados, Mascherano, Busquets e Abidal pareceram esquecer de guardar posição no começo do jogo. Pato aproveitou isso e abriu o placar rapidamente, em uma jogada de velocidade.

Depois desse lance, o Barça passou a dominar completamente a partida, com sua tradicional troca de passes e muitos chances de gol - ao todo foram 22 finalizações do espanhóis contra apenas seis dos italianos. Mas ainda assim o Barça sofria para furar a defesa bem montada do Milan, escalado com duas linhas de quatro e ainda um volante entre elas.

Era preciso uma jogada individual para furar isso e o jogador ideal para isso, Lionel Messi, chamou a responsabilidade. Ele fez uma bela jogada de velocidade e cruzou para Pedro empatar o jogo ainda no primeiro tempo.

Com uma cobrança de falta precisa, Villa decretou a virada do Barça no começo do segundo tempo. Depois disso, o Milan parecia que não conseguiria mais reagir. Só que, nos acréscimos, Thiago Silva fez um gol de cabeça e empatou o jogo.

No outro jogo do grupo o Bate Borisov e Viktoria Plzen também terminaram empatados, com o placar de 1 a 1. Dessa forma, Barça e Milan lideram a chave H da Liga dos Campeões apenas pelo número de gols marcados.

O jogo
O Milan demorou apenas 24 segundos para surpreender o Barcelona. Com a bola no meio-campo, Alexandre Pato conseguiu um belo corte e viu a zaga adversária ainda mal posicionada. Ele partiu em sozinho, ganhou de todos na velocidade e chutou entre as pernas de Valdés, abrindo rapidamente o placar no Camp Nou.

A reação do Barcelona foi no seu estilo de sempre. Sem se desperar, o time passou a controlar a posse de bola do jogo com tranquilidade, até porque o Milan preferiu ficar atrás e esperar um contra-ataque. Ainda que essa jogada dependesse apenas de Pato isolado no ataque.

Aos oito minutos, Daniel Alves subiu pela direita, tentou um cruzamento, mas um desvio na defesa do Milan mandou a bola para o gol. Abbiati teve que se esticar para evitar o gol.

Logo depois, aos onze, o ataque foi pela outra lateral: Abidal chegou sair da defesa e entrar na área para finalizar, mas o chute foi desviado para escanteio. Na cobrança, a bola sobrou para Villa, mas ele chutou na rede pelo lado de fora.

A pressão do Barcelona continuou e também aconteceu pela faixa central do meio-campo, onde Messi dominou, cortou para a esquerda e chutou rasteiro. Abbiati mais uma vez mostrou elasticidade para defender.

O Milan demorou quinze minutos, depois do primeiro gol, para voltar ao ataque com perigo. Após mais uma arrancada de Pato, a bola foi rolada para Boateng, que dominou mal e chutou por cima do gol.

Mas a resposta do Barcelona não demorou a aparecer. Após tabela com Pedro, Messi driblou Nesta e sofreu falta. O próprio argentino foi para a cobrança e acertou a trave esquerda de Abbiati.

Depois desse lance, o domínio de jogo do Barcelona se tornou menos perigoso. O time catalão ainda conseguia manter a posse de bola, mas as linhas de quatro do Milan, postado no 4-1-4-1, segurava quase todas infiltrações do adversário. Quase.

Aos 27 minutos, um cruzamento da direita foi recebido com um belo voleio de David Villa, mas a bola foi por cima do gol. Logo depois, uma enfiada de bola feita por Daniel Alves também furou a retranca do Milan, mas o chute de Messi foi defendido por Abbiati.

Apesar das tabelas funcionarem esporadicamente, o desenho da partida mostrava que o Barcelona só tinha uma solução para empatar o jogo: uma jogada individual. E foi isso que aconteceu aos 34 minutos. O Barcelona tinha o homem perfeito para isso. Lionel Messi recebeu a bola na frente da área, arrancou em velocidade, passou por quatro marcadores e o passe para a área foi perfeito: Pedro só precisou empurrar a bola para dentro do gol e assim empatar o jogo.

Antes de acabar o primeiro tempo, Fábregas ainda entrou no lugar de Iniesta, lesionado. O Milan também tinha trocado Boateng por Ambrosini. Mas o resultado parcial ficou mesmo 1 a 1.

O segundo tempo começou sem alterações nos times, mas o placar mudou rapidamente, aos cinco minutos do segundo tempo: em cobrança de falta pela esquerda, David Villa chutou com perfeição, no ângulo da meta defendida por Abbiati, e fez seu gol. A virada do Barcelona estava concretizada.

Villa cobrou falta com perfeição para fazer o segundo do Barça
AFP
Villa cobrou falta com perfeição para fazer o segundo do Barça

Porém, o gol não mudou o panorama do jogo. Na verdade só deixou o Milan mais nervoso para tentar parar o Barcelona. Um lance aos 9 minutos do segundo tempo deixou isso bem claro. Messi entrou na área em diagonal e só não fez o gol porque foi travado por Nesta, com um carrinho perigoso, mas que deu certo. O zagueiro italiano levantou esbravejando com seus companheiros para que a cena não se repetisse.

O técnico do Milan, Allegri, ainda tentou trocar o sumido Cassano por Emanuelson, mas a alteração não mudou o cenário do jogo, já que o time italiano não conseguia ficar com a bola e Pato continuava isolado no ataque. Nem a troca de Van Bommel por Aquilani resolveu esse problema.

Já o Barcelona também mudou, com a entrada do zagueiro Puyol no lugar do volante Keita, e nem por isso deixou de dominar a partida. Afellay, já no final do jogo, teve a melhor chance de ampliar o placar, ficando cara a cara com o goleiro Abbiati. Mas o holandês chutou fraco e a defesa do Milan ainda conseguiu afastar.

Parecia que só uma bola parada poderia resolver os problemas do Milan. E foi essa chance que o Barcelona deu com um escanteio já nos acréscimos. Thiago Silva subiu mais alto que a defesa do Barça e decretou o placar final: 2 a 2.

FICHA TÉCNICA: BARCELONA 2 x 2 MILAN
Local: Camp Nou, em Barcelona-ESP
Data: 13 de setembro de 2011, terça-feira
Horário: 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Martin Atkinson (ING)
Assistentes: Michael Mullarkey (ING) e Peter Kirkup (ING)
Cartões Amarelos: Puyol, Villa e Daniel Alves (BAR); Nesta e Van Bommel (MIL)

GOLS:
MILAN: Pato, aos 24 segundos do primeiro tempo; Thiago Silva, aos 46 minutos do segundo tempo.
BARCELONA: Pedro, aos 34 minutos do primeiro tempo; Villa, aos 5 minutos do segundo tempo.

BARCELONA: Valdés; Mascherano, Busquets e Abidal; Daniel Alves, Xavi, Keita (Puyol) e Iniesta (Fábregas); Pedro, Messi e David Villa (Afellay). Técnico: Pep Guardiola

MILAN: Abbiati; Abate, Nesta, Thiago Silva, Zambrotta; Van Bommel (Aquilani); Nocerino, Seedorf, Boateng (Ambrosini) e Cassano (Emanuelson); Alexandre Pato. Técnico: Massimiliano Allegri.