Em entrevista ao iG, Sandro contou como foram os momentos após a parada cardíaca de Fabrice Muamba no sábado

Muamba, de 23 anos, teve um mál súbito aos 41 minutos de jogo
Getty Images
Muamba, de 23 anos, teve um mál súbito aos 41 minutos de jogo
Pânico, aflição e desespero. Assim, o volante brasileiro Sandro descreve os momentos vividos pelos jogadores em campo no White Hart Lane durante a partida entre Bolton e Tottenham quando Fabrice Muamba teve um mal súbito . O jogador da República Democrática do Congo segue internado em estado grave no Centro Cardíaco do hospital London Chest.

Deixe seu recado e comente a notícia

“Foi bem triste, uma sensação de aflição, agonia. Parecia que ele estava morrendo na nossa frente. Foi um desespero”, revela Sandro em entrevista ao iG por telefone, direto de Londres. O brasileiro, que joga no Tottenham, estava no banco de reservas no momento em que o jogador do Bolton teve uma parada cardíaca.

“Quem atendeu primeiro foi o nosso médico (do Tottenham). Ele falou com a gente depois que o Muamba estava respirando bem pouco quando ele chegou. Logo depois, ele parou. Os médicos começaram a fazer o atendimento, mas não conseguiram reanimar. Ele saiu de campo sem respirar”, conta.

VEJA TAMBÉM: Coração de jogador do Bolton bate sem a ajuda de aparelhos


Sandro revela que durante os dez minutos em que Muamba foi atendido no campo, os jogadores tentavam conseguir informações sobre o colega. “Alguns estavam mais aflitos e até choravam. Mas todo mundo ficou chocado. Nunca tinha visto nada igual”, afirma. Após o incidente, a partida foi cancelada.

No domingo, o jornal “The Guardian” publicou que Muamba chegou a ficar duas horas com o coração sem bater de forma voluntária. O último boletim médico divulgado pelo Bolton aponta melhora no quadro de saúde do jogador. De acordo com comunicado divulgado no site oficial do clube, o coração do volante está batendo sem a ajuda de aparelhos . Além disso, ele já movimenta braços e pernas.

Check-up depois do susto
Antes do treinamento desta segunda-feira no Tottenham, em Londres, os jogadores foram submetidos a exames cardíacos. “Não sei se aconteceu em todos os clubes, mas lá a gente fez uns testes do coração”, revela o jogador brasileiro.

null

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.