Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Brasileiro chamado de "Rei do Reysol" prevê nervosismo do rival

Clube japonês duela neste domingo contra o Monterrey, o venceder vai jogar contra o Santos

Gazeta |

Getty Images
Hiroki Sakai em ação pelo Kashiwa Reysol, atual campeão japonês
Em final de temporada no futebol japonês, o campeão Kashiwa Reysol se diz cansado, mas tem um trunfo em relação ao duelo deste domingo contra o Monterrey, que vale vaga para duelar contra o Santos : já passou seu nervosismo pelo primeiro jogo no Mundial de Clubes . Como os mexicanos estrearão na competição, podem estar tensos.

"Contra o Monterrey, o desafio será mais difícil, mas, por outro lado, nosso time estará mais tranquilo, enquanto eles farão a estreia", opinou o meia brasileiro Leandro Domingues, eleito o melhor jogador do último Campeonato Japonês, a J-League, e conhecido como "Rei do Reysol".

Leia também: Ganso desiste de esperar Santos e vende direitos econômicos a DIS

Leandro Domingues crê que sua equipe terá mais dificuldades do que na vitória por 2 a 0 sobre o Auckland City, da Nova Zelândia, na quinta-feira. O foco dos japoneses na partida válida pelas quartas de final do Mundial de Clubes é bloquear a troca de passes dos mexicanos, anulando o atacante chileno Suazo como referência.

"O [técnico] Nelsinho Batista nos mostrou vídeos do time e já destacou que é uma equipe rápida, que toca muito a bola e usa muito o atacante Suazo. Vamos jogar marcando bem e aproveitar os espaços que eles derem", explicou Domingues, colocando-se entre os que mais sofrem com o desgaste.

E mais: Após estreia, Jorge Wagner exalta Kashiwa e diz não ao Palmeiras

"Tudo tem acontecido muito rápido com o nosso time. Pela primeira vez, o Kashiwa foi campeão da J-League e uma semana depois já estava disputando o Mundial de Clubes. Os jogadores estavam ansiosos para a estreia e com isso erramos muitos passes. Mas o importante foi que vencemos", celebrou o brasileiro, disposto a provar no Mundial a razão de ser o "Rei de Reysol" garantindo o duelo entre seu time e o Santos.

"De fato estou chegando ao meu limite, mas todo o esforço vale a pena quando você vê os torcedores te parando na rua e agradecendo por tudo o que você vem fazendo pelo time. Até o final do ano, poderemos chegar mais longe no Mundial e ainda brigar pelo título da Copa do Imperador. Agora é a hora do sprint final", sentenciou.

Leia tudo sobre: mundial de clubes

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG