velhas , surpresas e decepções - Futebol - iG" /
Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Brasileirão também tem revelações velhas , surpresas e decepções

Competição trouxe à tona jogadores como Bruno César e Dedé, destaques que não tem mais idade para jogar as Olimpíadas de 2012, em Londres

Allan Brito, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237881954863&_c_=MiGComponente_C

Nunca é tarde demais para surgir no cenário do futebol. Apesar de não terem mais idade para defender a seleção brasileira sub-23 nas Olimpíadas, alguns jogadores foram importantes revelações do Campeonato Brasileiro. Bruno César, do Corinthians, e Dedé, do Vasco, são os principais exemplos.

Sem idade olímpica por causa de dois meses, Bruno surgiu no Campeonato Paulista de 2010 pelo vice-campeão paulista Santo André, mas foi no Brasileirão que ele ficou conhecido nacional e internacionalmente. Contratado pelo Corinthians, ele rapidamente virou o principal armador do time e tem sido alvo de boatos na Europa, mas seu contrato é válido até 2014 e a intenção do Corinthians é segurá-lo pelo menos até a disputa da Copa Libertadores do ano que vem.

Bruno César não fez apenas assistências, mas também virou o artilheiro da equipe - marcou 14 gols no Brasileirão. Além disso, costuma se destacar quando dá entrevistas. Tem sido assim desde a sua chegada, quando se comparou com Douglas (ex-Corinthians, atualmente no Grêmio), sem qualquer falsa modéstia: "Tenho uma característica que está faltando ao Corinthians e a muitos times do Brasil", declarou.

Dedé também está entre as melhores revelações do Campeonato, apesar de não ter idade para jogar nas categorias de base da seleção brasileira. Assim como Bruno César, ele foi o principal resultado de observações em um campeonato estadual. O Vasco viu o zagueiro se destacar pelo Volta Redonda em 2009, fechou a contratação, mas foi só em 2010 que ele estorou. Alto (1,92m) e veloz, ele virou titular do time rapidamente e está indicado entre os melhores zagueiros do Campeonato Brasileiro pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Primeiramente contratado com acordo de apenas um ano, Dedé já recebeu aumento salarial e extensão do contrato, que agora é válido até 2014. "Tenho muito que agradecer ao Vasco pela oportunidade, pela paciência durante a minha adaptação e não posso esquecer de agradecer o PC Gusmão, pois foi ele quem conversou comigo e me orientou a ficar. Ganhei a oportunidade e soube aproveitar", disse Dedé, após fechar o novo acordo.

Existem também aqueles jogadores que surpreenderam, pois apesar de já serem razoavelmente conhecidos, mostraram mais futebol do que era esperado. Os goleiros Julio César, do Corinthians, e Deola, do Palmeiras, por exemplo, já tinham recebido chances em seus times, mas nunca atuaram tão bem quanto fizeram em 2010.

Caio (Avaí), Zé Eduardo (Santos), Branquinho (Atlético-PR), Elias (Atlético-GO), Júnior (Vitória), Leandro Euzébio (Fluminense), Paulão e Diego Clementino (ambos do Grêmio) são mais alguns destaques desse grupo de jogadores que, apesar de não serem jovens que podem disputar as Olimpíadas, foram algumas das melhores novidades do Campeonato Brasileiro de 2010.

Decepções
Em 7 de maio de 2010, um dia antes do Campeonato Brasileiro começar, o iG publicou uma lista de dez candidatos a revelação da competição. Por motivos diversos, seis dos jovens citados naquela relação não brilharam na competição. Alguns nem tiveram tempo para isso, por terem sido negociados com times europeus, e outros simplesmente não corresponderam quando tiveram suas chances.

A principal decepção ficou por conta de Caio, atacante que brilhou no título estadual do Botafogo, ainda no primeiro semestre, mas depois caiu de produção. Ele virou reserva de Jóbson e Herrera como companheiro de Loco Abreu no ataque e, apesar de ter idade olímpica, não está entre os mais cotados para uma futura convocação.

André, ex-Santos, Philipe Coutinho, ex-Vasco, e Walter, ex-Internacional, também estavam nessa lista de possíveis revelações do Brasileirão, mas foram vendidos no meio do ano e pouco fizeram na competição. Eles foram, respectivamente, para Dínamo de Kiev, Inter de Milão e Porto, mas ainda não são titulares das suas novas equipes.

Eliandro (Cruzeiro) e Wellington Silva (Fluminense) eram outros jogadores que apareciam como boas apostas no começo do campeonato, mas tiveram poucas chances durante o ano. Já Gabriel Silva (Palmeiras), Mazola (Guarani), Neto (Atlético-PR) e Neuton (Grêmio), corresponderam às expectativas apresentadas na lista do iG, se destacaram e viraram opções para as categorias de base do Brasil.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG