Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

“Brasil não vai chegar a 2014 cambaleando”, diz Mano Menezes

Técnico disse que se perceber problemas, vai conversar com Teixeira. Ele se irritou com jornalista

Marcel Rizzo e Paulo Passos, enviados iG a Los Cardales |

Mano Menezes minimizou a eliminação do Brasil na Copa América , mostrou-se confiante quanto ao futuro do time e afirmou, nesta segunda-feira, que a seleção brasileira não chegará cambaleando à Copa do Mundo de 2014. Na análise do treinador, a equipe tem evoluído, apesar da queda nas quartas de final da Copa América diante do Paraguai.

“O Brasil não vai chegar cambaleante em 2014, vai chegar forte. Se eu sentir que não tenho condições de fazer isso, eu vou conversar com o presidente. Ele (Ricardo Teixeira) sabe que está muito claro o que precisamos fazer e vamos continuar fazendo, sinto confiança neste trabalho. Se continuarmos caminhando na direção que estamos, vou me sentir confortável”, disse Mano Menezes.

O técnico deu exemplos de que é importante a sequência no trabalho para ter sucesso. Citou as várias mudanças que a Argentina fez e que não trouxeram resultados (também foi eliminada nas quartas de final) e lembrou que três dos quatro times classificados para as semifinais têm treinadores há tempo no cargo.

null

 

“O Paraguai e o Uruguai têm os mesmos treinadores da Copa do Mundo, quando fizeram grandes campanhas. Eles se classificaram nas eliminatórias, foram para o Mundial e acabaram mantidos no cargo. Esse é o caminho, mas sei que quando não vem a vitória as críticas acontecem”, disse o treinador.

Mano tem contrato até o final da Copa do Mundo de 2014, em julho daquele ano, e, segundo a diretoria de comunicação da CBF, não corre o risco de deixar o comando da seleção neste momento. Na segunda-feira, dia 25 de julho, o técnico já faz a convocação para o amistoso contra a Alemanha, que será dia 10 de agosto, em Stuttgart. Neste ano, o Brasil ainda enfrenta a Argentina pela Copa Rocca, só com atletas que atuam no país, em setembro, além de Espanha e Itália, ainda sem data e locais confirmados.

Irritação
Mano Menezes conversou com os jornalistas de terno e gravata e tinha uma expressão séria, mas não parecia abatido. Ele respondeu a todas as perguntas com tranqüilidade, sempre parando alguns segundos antes de começar a falar para pensar nas palavras certas. Ele só foi rude quando um dos jornalistas listou partidas que considerou que o Brasil tinha jogado mal. Antes de o repórter citar o Paraguai, Mano emendou:

Gazeta Press
Mano Menezes na entrevista coletiva desta segunda-feira

“De ontem (domingo) você não vai falar que jogamos bem?”, questionou Mano.

“Mas foi uma das maiores vergonhas do futebol brasileiro os quatro pênaltis perdidos e você vai continuar insistindo que o time está evoluindo?”, continuou o jornalista.

“Não vou continuar insistindo”, disse Mano, abrindo para nova pergunta.

Mas o técnico insistiu. Para ele, o Brasil teve nove chances claras de gol (ele reviu a partida em vídeo na madrugada desta segunda-feira) e acha que, se uma delas tivesse entrado, todos estariam exaltando a atuação.

“Penso que nós fizemos uma transformação bastante grande pra esse primeiro ano de trabalho, que vai se encerrar agora no dia 24. Você precisa fazer isso com esse cuidado porque, quando se sai de uma competição como nós saímos, a avaliação que se tem sobre os jogadores que chegaram não é a mesma se tivéssemos vencidos”, disse o técnico. 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG