Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Brasil enfrenta o México embalado pelo carisma de Gaúcho e Neymar

Mesmo em sétimo no ranking e em má fase, seleção empolga mexicanos por causa dos dois jogadores

Marcel Rizzo, enviado iG a Torreón |

Mowa Press
Ronaldinho Gaúcho e Neymar se divertem em treino no estádio Território Modelo
Mesmo em sétimo lugar no ranking da Fifa, a pior colocação na história, a seleção brasileira ainda demonstra carisma, principalmente em um país tão apegado ao futebol do Brasil. No México, onde enfrenta os anfitriões nesta terça-feira, em Torreón (500 km ao norte da Cidade do México), não importa que o time viva em má fase ou esteja mal ranqueado: jogadores como Neymar e Ronaldinho Gaúcho arrastam dezenas de torcedores à porta do hotel e revivem a paixão que os mexicanos tiveram por Pelé, Rivelino, Tostão e Cia. no título da Copa do Mundo de 1970. O jogo começa 22h30 (de Brasília).

VEJA MAIS: Brasileiros contam história de terror em Torréon

“Às vezes ainda acho estranho ser ídolo em lugares que nunca imaginei estar. Mas é bom, mostra que o trabalho é legal, bem feito”, disse Neymar.

LEIA TAMBÉM: Neymar é incansável, mas reclama de concentração

O santista é o único que já jogou no estádio Território Santos Modelo, em Torreón, e teve uma história engraçada na primeira passagem pela cidade de 700 mil habitantes que, mesmo no outono em outubro chega a 37 graus. O Santos visitou o Santos Laguna, clube local, em novembro de 2009 para inaugurar o estádio. Os brasileiros levaram um time reserva, do qual fazia parte o garoto de 17 anos, que visitou um shopping e não encontrava táxi para voltar. Foi preciso pegar carona com dois brasileiros, que incrivelmente nem o reconheceram na ocasião.

“Hoje seria difícil, né (não ser reconhecido)”, brincou o jogador.

Neymar e Ronaldinho são hoje a cara da seleção, apesar de ambos terem sido renegados na última Copa do Mundo, em 2010, na África do Sul, e de o flamenguista ter conquistado a confiança de Mano Menezes somente nas últimas partidas. “O Ronaldinho é importante para ser a referência para os mais jovens”, costuma dizer o treinador, em clara referência a Neymar como o jovem da seleção.

Foram cinco partidas de Neymar e Ronaldinho pela seleção, com três vitórias, um empate e uma derrota. O tropeço foi logo na estréia de ambos juntos, contra a França, 1 a 0 em Paris. Os empate foi contra a Argentina, no jogo da ida do Superclássico, 0 a 0 em Córdoba, e as vitórias contra os argentinos, na volta em Belém (2 a 0), frente Gana, 1 a 0, e Costa Rica, na última sexta-feira, 1 a 0 também. Neymar tem dois gols nesses jogos, contra zero de Ronaldinho.

“Não tem como superar Ronaldinho na seleção nesse momento. Ele é meu ídolo, minha referência. Por enquanto sou mais Ronaldinho”, brincou Neymar. Na porta do hotel e do estádio, pelo menos, a preferência já está bem dividida.

Em campo
Mowa Press
Mano Menezes tem dúvida no ataque da seleção brasileira
Mano Menezes tem dúvida se vai escalar Fred ou Lucas, já que vai optar pela entrada de Hulk pela direita do ataque, deixando Neymar mais pela esquerda. De qualquer maneira, o santista terá uma função diferente, já que muitas vezes vai precisar estar dentro da área, quase como centroavante.

“Nunca joguei assim, mas acho que posso render. Nós atacantes precisamos estar ali para marcar os gols”, disse o atacante.

Serão seis mudanças do time que venceu a Costa Rica: Jefferson substitui Julio Cesar no gol, que está machucado. Nas laterais, entram Daniel Alves e Marcelo e no meio Lucas Leiva e Fernandinho. A sexta mudança é a entrada de Hulk, resta saber se na vaga de Lucas ou de Fred. Mano quis testar opções contra a Costa Rica, rival mais fraco, e não gostou do que viu.

No México, a sensação é Javier “Chicharito” Hernández, considerado o “Neymar” mexicano. Com 23 anos atua no Manchester United e é adorado também pelos jovens. O ídolo de Chicharito, porém, é fã de um outro Ronaldo...

“O Ronaldo Fenômeno, com certeza. É o jogador que sempre imaginei estar próximo, estar perto”, disse Chicharito. O provável é que ele atue no ataque ao lado de Giovanni dos Santos, que é filho de brasileiro. Houve dois cortes por lesão: o goleiro Ochoa e o meia Torrado.

FICHA TÉCNICA
MÉXICO X BRASIL

Data: 11 de outubro de 2011
Horário: 22h30 (de Brasília)
Local: Estádio Território Santos Modelo, em Torreón (México)
Árbitro: Marlon Mejía (El Salvador)
Auxiliares: Daniel Williamson (Panamá) e Octavio Jara (Costa Rica)

México: Sánchez; Juárez, Rodríguez, Moreno e Salcido; Rafa Marquez, Castro, Barrera e Guardado; Giovanni dos Santos e Javier “Chicharito” Hernández. Técnico: José Manuel de la Torre

Brasil: Jefferson; Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Lucas Leiva, Fernandinho e Ronaldinho Gaúcho; Lucas (Fred), Hulk e Neymar. Técnico: Mano Menezes


 

Leia tudo sobre: seleção brasileiraneymarronaldinho gaúchoméxico

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG