Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Brasil empata no final e se mantém vivo na Copa América

Paraguai dominou o jogo, torcida gritou “olé”, mas Fred conseguiu igualar o placar em 2 a 2 nos últimos minutos

Marcel Rizzo e Paulo Passos, enviados iG a Córdoba |

 

Teve emoção, sofrimento e até “olé” paraguaio. O Brasil não conseguiu vencer, mas o gol de Fred aos 44 minutos do segundo tempo foi comemorado como vitória. A seleção empatou com o Paraguai, em Córdoba, e ainda tem chance de ficar em primeiro lugar no grupo B da Copa América. Para isso, precisa vencer o Equador, na próxima quarta-feira.

Antes do jogo contra o Paraguai, o técnico do Brasil surpreendeu e sacou Robinho do time. Jádson entrou no lugar. O meia-atacante até conseguiu marcar o primeiro gol do jogo. A seleção segurou o placar de 1 a 0 até o segundo tempo. Depois, sofreu a virada e ouviu “olé” da torcida, em sua maioria formada por paraguaios.

A resposta veio com Fred. Com o gol do atacante, o Brasil depende agora de uma vitória diante do Equador, também em Córdoba, para terminar em primeiro no grupo B da fase classificatória do torneio.

AFP
Fred marcou aos 44' do segundo tempo e conseguiu evitar o revés em Córdoba, na Argentina

O jogo - 2 x 2

O Paraguai começou o jogo pressionando. Já no primeiro minuto, teve uma chance clara de gol. Lucas 

Barrios tocou para Roque Santa Cruz. Dentro da área, o atacante chutou, mas a bola saiu pelo canto direito de Julio Cesar.

Sem a bola, a seleção brasileira jogava no esquema 4-4-2. Jádson e Ganso tentavam, sem sucesso, acionar Neymar e Pato. A primeira vez que levou perigo ao gol do Paraguai foi aos 18 minutos. Após troca rápida de passes, Jádson tocou para Alexandre Pato nas costas da defesa. O atacante tentou driblar Villar, mas o goleiro paraguaio salvou o lance com um tapa na bola.

Aos 38 minutos, o Brasil marcou o primeiro gol da partida. E foi justamente dos pés da novidade da seleção. Jádson chutou de fora da área, após receber um passe de Ganso. A bola entrou no canto direito de Villar.

Na comemoração o meia se dirigiu aos torcedores que haviam pedido Lucas com a mão direito na orelha, indicando que não ouviu o que estava sendo dito.

No segundo tempo, Mano Menezes tirou o meia-atacante. Elano entrou no seu lugar. Assim como no primeiro tempo, os paraguaios mantinham mais posse de bola e chegavam mais ao campo de ataque. Aos 9 minutos do segundo tempo, os paraguaios conseguiram empatar. Estigarribia avançou pelo lado esquerdo de ataque e cruzou rasteiro para Roque Santa Cruz, que teve tempo para dominar e tocar para o gol.

Após conseguir o empate, o Paraguai continuou melhor e pressionando o Brasil. E foi assim até marcar outro gol. Aos 21 do segundo tempo, Daniel Alves perdeu a bola para Riveros, no campo de defesa do Brasil. O paraguaio tocou para Roque Santa Cruz que passou para Haedo Valdez. Ele chutou, a bola tocou em Lúcio, mas ainda bateu no peito do atacante e entrou no gol.

Derrotado, o Brasil não conseguia criar chances de gol. Calmos no jogo, os paraguaios tocavam a bola para a alegria da torcida que gritava “olé”. O empate só veio faltando um minuto para o tempo regulamentar acabar. Fred recebeu um passe de Ganso na entrada da área. O atacante conseguiu virar em direção ao gol e igualou o placar.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 2 X 2 PARAGUAI

Local: Estádio Mario Alberto Kempes, em Córdoba (Argentina)
Data: 9 de julho de 2011, sábado
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Wilmar Rodán (Colômbia)
Assistentes: Humberto Clavijo (Colômbia) e Francisco Mondria (Chile)
Cartões amarelos: Jadson, Pato, Lucas Leiva e Daniel Alves (Brasil); Barrios e Victor Cáceres (Paraguai)

Gols:
BRASIL: Jadson, aos 40 minutos do primeiro tempo; Fred, aos 45 minutos do segundo tempo
PARAGUAI: Santa Cruz, aos 11, e Valdez, aos 22 minutos do segundo tempo

BRASIL: Júlio César; Daniel Alves, Lúcio, Thiago Silva e André Santos; Lucas Leiva, Ramires (Lucas), Jadson (Elano) e Ganso; Neymar (Fred) e Pato
Técnico: Mano Menezes

PARAGUAI: Villar; Verón, Da Silva, Alcaraz e Torres; Vera, Ortigoza, Riveros (Victor Cáceres) e Estigarribia (Osvaldo Martínez); Santa Cruz e Barrios (Valdez)
Técnico: Gerardo Martino

Leia tudo sobre: seleção brasileiraCBFCopa América 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG