Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Brasil corre risco de repetir erros do Pan 2007 em 2014

Coordenador do Tribunal de Contas do Paraná alerta sobre demora no início das obras, o que pode gerar superfaturamento

Altair Santos, iG Curitiba |

No final de novembro ocorreu em Porto Alegre o Simpósio Nacional de Auditoria em Obras Públicas (Sinaop). O tema central do encontro foi a Copa do Mundo de 2014. Dos debates, nasceu um consenso: o Brasil já perdeu pelo menos três anos no cronograma para viabilizar o Mundial. “A escolha do Brasil como sede da Copa 2014 foi no ano de 2007. Já se passaram três preciosos anos. A partir de agora, não dá para ficar parado. É preciso planejamento e projetos bem definidos para evitar constrangimentos em 2014”, diz Luiz Henrique Barbosa Jorge, coordenador de Engenharia e Arquitetura do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR).

O engenheiro alerta que quanto mais o Brasil demorar a viabilizar os projetos que envolvem o Mundial, mais correrá risco de seguir o exemplo dos Jogos Pan- americanos do Rio, em 2007. “No caso da Copa do Mundo, onde não se pode atrasar a entrega das obras, planejamento e projeto básico bem elaborado são fundamentais para que, no futuro, não tenhamos obras com aditivos de prazos e valores e, até mesmo, com dispensa de licitação como ocorreu no Pan”, afirma. Ele completa que o Brasil deveria ter seguido o modelo de Londres 2012. “Lá, algumas obras, como o centro de canoagem, já estão concluídas.”

Apesar de a redução de subsedes já rondar a Copa 2014, Luiz Henrique Barbosa Jorge disse que o assunto não foi debatido no Sinaop. “A preocupação central girou em torno da execução das obras, bem como o legado a ser deixado à população”, comentou. Neste particular, o engenheiro se disse defensor de que Curitiba deveria ter aproveitado o evento para criar uma estrutura esportiva na cidade, com estádio e ginásio novos. “Compartilho desta ideia, tendo em vista que Curitiba não dispõe de ginásio ou praça esportiva em condições de sediar espetáculos de outras modalidades esportivas”, avalia.

No entanto, ele acredita que a Arena da Baixada – estádio que pertence ao Atlético Paranaense, e que será apenas remodelado – deve mesmo ser um dos primeiros a ficar pronto para o Mundial. “A princípio houve atraso na definição do estádio, tendo em vista a viabilidade financeira para o término da construção e adaptação às normas da Fifa, mas esta etapa foi concluída e, apesar do cronograma apertado, a tendência é que a conclusão fique dentro do prazo”. O Atlético trabalho com seguinte cronograma: iniciar as obras em junho de 2011 para entregá-las em dezembro de 2012.
 

Leia tudo sobre: Copa 2014

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG