Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Botafogo vence o Atlético-GO em casa e mantém sonho do título

Equipe carioca chegou ao terceiro triunfo seguido no Campeonato Brasileiro; Caio, Loco Abreu e Jobson marcaram para os donos da casa no Engenhão

Renan Rodrigues, iG Rio de Janeiro |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237861821343&_c_=MiGComponente_C

O Botafogo deu mais um importante passo para ficar com uma das vagas para a Copa Libertadores de 2011. A equipe carioca venceu o Atlético-GO por 3 a 2, nesta quarta-feira, no estádio Engenhão, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro e chegou ao terceiro triunfo consecutivo. De quebra, o Botafogo encosta nos líderes, ficando quatro pontos atrás do líder Fluminense.

Após um primeiro tempo equilibrado, Caio conseguiu marcar de cabeça, aos 45 minutos, e abrir caminho para a vitória. Na segunda etapa, Jobson e Loco Abreu completaram o placar para o time da casa. Juninho e Róbston descontaram, mas não puderam evitar a derrota do Atlético-GO, que perde uma invencibilidade de quatro partidas.

A vitória deixa o Botafogo na 4ª colocação, com 54 pontos. O Atlético-GO segue na 15ª colocação, com 36 pontos. Agora o Botafogo viaja até Florianópolis, onde enfrenta o Avaí, no estádio da Ressacada, no próximo domingo, às 17h, pela 34ª rodada. Já o Atlético-GO recebe o Internacional, no Serra Dourada, no sábado, às 19h30.

Assista aos cinco gols do jogo

O jogo
O técnico Joel Santana surpreendeu na escalação. Sem os laterais Marcelo Cordeiro e Alessandro, o treinador botafoguense optou por improvisar o atacante Caio na direita e manter o volante Somália na esquerda. 

O começo da partida foi marcado pela cautela. As duas equipes trocavam passes e arriscavam pouco. Tanto que a primeira chance de perigo aconteceu apenas aos 8 minutos. Adriano foi até a linha de fundo, fintou Somália duas vezes e cruzou. Desequilibrado, Renatinho completou de primeira, mas a bola foi para fora.  Aos 15 minutos, a primeira polêmica do jogo. Jobson cruzou para a área, Agenor dominou errado e perdeu a bola para Loco Abreu, que caiu pedindo pênalti. O árbitro Heber Roberto Lopes mandou o lance seguir.

Mesmo atuando em casa, o Botafogo não conseguia criar lances de perigo, deixando o contra-ataque para o time goianiense. Aos 19, Marcão encontrou Róbston na direita. De primeira, o meia soltou a bomba, mas o chute saiu à esquerda do goleiro Jefferson. Errando muitos passes, o Botafogo era dominado pelo Atlético-GO. Aos 27 minutos, cobrança de escanteio na cabeça de Welton Felipe. O zagueiro subiu mais que a zaga botafoguense e cabeceou para o chão, mas a bola saiu por cima do gol de Jefferson.

O ritmo do Atlético-GO diminuiu e a partida perdeu em qualidade técnica e a torcida na arquibancada já exibia sinais de irritação. Mas aos 45 minutos, quando tudo caminhava para um empate ruim, o Botafogo encontrou seu gol. Marcelo Mattos recebeu um passe na entrada da área e cruzou na medida para o atacante Caio marcar de cabeça seu primeiro gol no Campeonato Brasileiro. O goleiro Márcio ainda tocou na bola, mas não pode evitar o gol botafoguense.

Na volta do intervalo, o técnico Joel Santana trocou o zagueiro Mário Rosário, lesionado, por Danny Morais. Com uma postura totalmente diferente da primeira etapa, a equipe carioca resolveu a partida logo aos 2 minutos. Somália carregou pela esquerda e lançou Jobson. O atacante dominou e chutou forte, de perna esquerda, para ampliar o placar. 

Um minuto depois, quase o terceiro gol do Botafogo. Jobson arrancou pela direita, finta o zagueiro Welton Felipe e tenta encobrir o goleiro Márcio, que consegue fazer a defesa. Em desvantagem, o técnico do Atlético-GO, Renê Simões, realizou duas mudanças. O lateral-esquerdo Thiago Feltri saiu para a entrada do meia Elias. E o atacante Marcão deu lugar ao também atacante Josiel.

As alterações não deram certo. O Botafogo continuou melhor na partida, atuando com mais liberdade. Aos 18 minutos, Lucio Flavio disputa a bola com Agenor e é derrubado na área. Héber Roberto Lopes marca pênalti. Na cobrança, o uruguaio Loco Abreu bateu no meio do gol, fazendo o terceiro do Botafogo. Aos 30 minutos do segundo tempo, Lucio Flavio, que tinha sido vaiado pela torcida nas últimas partidas, deixou o campo muito aplaudido, dando lugar ao meia Edno.

O Atlético-GO ainda teve tempo de diminuir. Aos 37 minutos, Juninho entrou na área pela esquerda, cortou o zagueiro Leandro Guerreiro e chutou forte. O goleiro Jefferson tocou na bola, mas não conseguiu fazer a defesa. Nos acréscimos da partida, Róbston recebeu na entrada da área e bateu forte, no canto do goleiro Jefferson, que nada pode fazer. Porém, já era tarde para o time goiano, que perde a invencibilidade de quatro jogos no Campeonato Brasileiro.

FICHA TÉCNICA - BOTAFOGO 3 x 2 ATLÉTICO-GO

Local: Estádio Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 3 de novembro de 2010, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Héber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Assistentes: José Amilton Pontárolo e Ivan Carlos Bohn (ambos do PR)
Público: 17.118 pagantes
Renda: R$362.880
Cartão amarelo: Thiago Feltri (ATG), Adriano (ATG) e Agenor (ATG)

GOLS:
Botafogo: Caio, aos 45 minutos do primeiro tempo; Jobson, aos 2 minutos do segundo tempo; Loco Abreu, aos 19 minutos do segundo tempo

Atlético-GO: Juninho, aos 37 minutos do segundo tempo; Róbston, aos 47 minutos do segundo tempo

BOTAFOGO: Jéfferson; Antônio Carlos, Márcio Rosário (Danny Morais) e Leandro Guerreiro; Somália (Renato Cajá), Fahel, Marcelo Mattos e Lúcio Flávio (Edno); Jobson, Caio e Loco Abreu
Técnico: Joel Santana

ATLÉTICO-GO: Márcio; Adriano, Welton Felipe, Daniel Marques e Thiago Feltri (Elias); Agenor, Pituca (Rômulo), Robston e Renatinho; Juninho e Marcão (Josiel)
Técnico: René Simões

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG