Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Botafogo joga mal e só empata com o Atlético-GO em casa

Equipe carioca marcou com Herrera, mas sofreu o empate e saiu de campo muito vaiada pela torcida

Renan Rodrigues, iG Rio de Janeiro |

O Botafogo começou a rodada com a chance de subir para a segunda colocação do Brasileirão. Bastava vencer em casa e torcer por um tropeço do Palmeiras contra o América-MG. Porém, com um futebol fraco e pouco inspirado, a equipe carioca só ficou no empate de 1 a 1 com o Atlético-GO na noite desta quinta-feira.

Ao invés de subir, o Botafogo caiu para a sexta colocação, com 15 pontos na tabela. O time goiano sobe uma colocação e chega aos oito pontos, na 15 ª colocação. No outro jogo já encerrado nesta quinta-feira, o Coritiba venceu o Figueirense .

Torce para o Botafogo ou para o Atlético-GO? Então entre para a Torcida Virtual de seu time e convide os amigos

O Botafogo começou atacando com velocidade e marcou logo aos quatro minutos, com o argentino Herrera. Porém, o time diminuiu o ritmo e passou a errar muitos passes na construção das jogadas, sofrendo o empate com Anselmo, aos 15 minutos da primeira etapa.

Na próxima rodada o Botafogo vai até Salvador, onde enfrenta o Bahia, no domingo, às 16h, no estádio Pituaçu. No mesmo dia e horário, o Atlético-GO recebe o líder Corinthians no estádio Serra Dourada, em Goiânia.
null

O Jogo
O Botafogo começou a partida no já tradicional esquema 4-2-3-1, voltando para marcar atrás da linha da bola e saindo em velocidade para o ataque pelo lado direito, ora com Elkeson, ora com Maicosuel. Em uma dessas descidas, Elkeson foi derrubado do lado direito, perto da grande área. O próprio meia cobrou, a zaga do Atlético-GO não conseguiu afastar e na sobra, Herrera bateu firme, no canto direito do goleiro Márcio, abrindo o placar logo aos quatro minutos da primeira etapa.

Acompanhe o Twitter do iG Botafogo e se mantenha informado sobre as notícias do time

A tática dava resultado e o Botafogo conseguia evitar as ameaças do adversário. Everton voltava para ajudar Márcio Azevedo na esquerda, enquanto Maicosuel acompanhava a descida do lateral Thiago Feltri pela direita. Um minuto após o primeiro gol, Maicosuel tabelou com Somália, entrou na área e cruzou da linha de fundo, mas a zaga do Atlético-GO conseguiu afastar o perigo.

A parceria Elkeson e Herrera quase voltou a funcionar aos nove minutos de jogo. O meia cobrou outra falta da direita, Herrera subiu sozinho na área, mas cabeceou por cima do gol adversário, perdendo boa chance de ampliar o placar.

Atlético-GO cadencia o jogo e reage
Depois de um início avassalador, o Botafogo diminuiu o ritmo e passou a observar o adversário tocar a bola. A marcação já não era tão firme e o Atlético-GO começou a valorizar a posse de bola. Aos 15 minutos, após bela virada de jogo para o lado direito, Thiago Feltri conseguiu evitar a saída pela linha de fundo e cruzou para Anselmo ganhar de cabeça de Márcio Azevedo e empatar a partida no Engenhão.

O Atlético-GO segurava as arrancadas do Botafogo com faltas e o técnico Caio Júnior teve que mudar a equipe ainda no primeiro tempo. Everton caiu sobre o ombro esquerdo, foi atendido e ainda voltou para a partida, mas acabou sendo substituído por Lucas aos 34 da primeira etapa. Nos minutos finais, o Atlético-GO ainda voltou a assustar com cabeçada de Anselmo, mas as duas equipes foram para o intervalo com a igualdade no placar, sob vaias da torcida do Botafogo.

Botafogo piora no segundo tempo
Sem alterações, os dois times voltaram para o segundo tempo, mas ao invés do Botafogo pressionar, quem controlava a bola era o Atlético-GO. O time da casa abusava dos passes errados e não conseguia criar. Irritada, a torcida começou a pedir o meia Cidinho, revelação das categorias de base. O técnico Caio Júnior atendeu, tirando o lateral-direito Alessandro e recuando Lucas para a defesa.

Dominado, o Botafogo quase foi castigado aos 16 minutos do segundo tempo. Pituca fez linda jogada arrancando do meio campo e tocando para Juninho, que bateu no ângulo, mas Márcio Azevedo, em cima da linha, mergulhou e tirou a bola de cabeça. A torcida comemorou o lance como se o jogador tivesse marcado um gol.

O Botafogo ainda tentou marcar na base do ‘abafa’, mas errava passes e sentia falta da ligação entre o meio-campo e o ataque. Por outro lado, o Atlético-GO soube segurar a partida com faltas e abusando da catimba, esfriando o jogo. No final, o empate acabou sendo até bom para o time carioca, que foi muito mal na segunda etapa e saiu de campo debaixo de muitas vaias, com o técnico Caio Júnior sendo chamado de burro pelos torcedores do Botafogo.

FICHA TÉCNICA - BOTAFOGO 1 X 1 ATLÉTICO-GO
Local: Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 7de julho de 2011 (Quinta-feira)
Horário: 19h30 (de Brasília)
Público: 13.649
Renda: R$ 197.905,00
Árbitro: José de Caldas Souza (DF)
Assistentes: César Augusto de Oliveira Vaz (DF) e João Paulo Neto (DF)
Cartões amarelos: Herrera (Botafogo); Anderson, Pituca, Agenor e Thiaguinho (Atlético-GO)

GOLS
Botafogo – Herrera, aos quatro minutos do primeiro tempo
Atlético-GO – Anselmo, aos 15 minutos do primeiro tempo

BOTAFOGO: Renan, Alessandro (Cidinho), Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Lucas Zen, Somália (Caio), Everton (Lucas), Elkeson e Maicosuel; Herrera.
Técnico: Caio Junior

ATLÉTICO-GO: Márcio, Rafael Cruz, Gilson, Anderson e Thiago Feltri; Agenor, Pituca (Renato Augusto), Bida e Thiaguinho (Adriano Pimenta); Juninho (Felipe) e Anselmo.
Técnico: PC Gusmão.
 

Leia tudo sobre: BotafogoAtlético-GOBrasileirão 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG