Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Botafogo joga mal e perde para o River Plate-SE na Copa do Brasil

Equipe carioca foi derrotada por 1 a 0 e terá que vencer por dois gols de diferença no jogo de volta

Renan Rodrigues, iG Rio de Janeiro |

A ausência do técnico Joel Santana no banco de reservas parece ter sido sentida pelos jogadores do Botafogo. Suspenso, o treinador viu das arquibancadas um time apático, que acabou derrotado por 1 a 0 pelo River Plate-SE nesta quarta-feira, no estádio Batistão, em Aracaju, pela estreia da Copa do Brasil.

A partida se encaminhava para um empate sem gols, mas Bebeto Oliveira, aos 42 minutos do segundo tempo marcou o único tento da partida. Além de não se recuperar da eliminação para o Flamengo na semifinal da Taça Guanabara, no último domingo, o Botafogo terá dura missão no jogo da volta. Para seguir na competição, o Botafogo terá que vencer o River por dois gols de diferença. A vitória pelo placar mínimo leva a partida para os pênaltis. Vitória do Botafogo por placares como 2 a 1 classifica o River Plate, já que o gol fora é critério de desempate. As duas equipes voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, às 19h30, no estádio Engenhão.

O Jogo
Apesar dos elogios ao meia Everton, após a partida contra o Flamengo, quando o jogador entrou no segundo tempo e deu mais criatividade ao time, o técnico Joel Santana optou por uma escalação inicial mais cautelosa, com Rodrigo Mancha, Somália, Bruno e Renato Cajá formando o meio de campo. No banco de reservas, o preparador físico Dudu Fontes era responsável por repassar as instruções de Joel.

Futura
Botafogo teve dificuldades no ataque e acabou derrotado pelo River Plate-SE

O Botafogo começou a partida com mais posse de bola, mas forçava chutões de longe para o atacante Loco Abreu, que tinha marcação dupla dos zagueiros do River Plate-SE. Quando colocou a bola no chão, o time carioca levou perigo ao adversário. Aos 8 minutos do primeiro tempo, Herrera recebeu bom passe de Somália, avançou pela esquerda e cruzou para Loco Abreu, que se esticou todo, mas não conseguiu alcançar a bola.

Dois minutos depois, nova chance de perigo para o Botafogo. Alessandro foi até a linha de fundo e cruzou da direita, Loco Abreu dominou no peito, tirando os zagueiros da jogada, mas o chute forte foi bem defendido pelo goleiro Max.  Depois de suportar a pressão inicial, o River passou a tocar mais a bola, mas não oferecia perigo ao Botafogo, que também errava passes, fazendo a partida perder qualidade.

Com Renato Cajá apagado, os volantes botafoguenses passaram a sair mais para o ataque. E aos 26 minutos, a jogada iniciada por Bruno quase abriu o placar no Batistão. O volante recebeu bom lançamento de Somália pela esquerda, tentou o cruzamento para Herrera, mas a bola foi desviada pela zaga. Loco Abreu ficou com o rebote na entrada da área, soltou a bomba, mas a bola desviou na defesa  e saiu.

O ritmo da partida caiu ainda mais, e as duas equipes foram para o intervalo sem alterar o placar, após um primeiro tempo muito apático. Na volta dos vestiários, o técnico Joel Santana colocou o meia Everton no lugar do lateral-esquerdo Márcio Azevedo, passando Somália para a lateral.

Porém, quem voltou melhor para a segunda etapa foi o River. Com menos de um minuto, o meia Éder cruzou para a área, Bebeto escorou de cabeça, os zagueiros do Botafogo apenas assistiram e Bibi, livre, chutou fraco para o gol, para defesa do goleiro Jefferson. Aos 4 minutos, nova falha da defesa do Botafogo e nova chance para o River abrir o placar. Éder cobrou falta da esquerda, Bebeto subiu mais que a zaga do time carioca, mas a bola saiu à esquerda do gol de Jefferson.

Depois de desperdiçar duas ótimas chances, o River passou a se retrair, colocando todos os jogadores atrás da linha da bola. Sem conseguir penetrar na defesa adversária, o técnico Joel Santana, das arquibancadas, pediu a troca do meia Renato Cajá pelo atacante Caio.

Além de não conseguir criar jogadas ofensivas, a mudança deu mais espaço para o River atuar no contra-ataque. E foi assim que saiu o único gol da partida. Aos 42 minutos, após erro na saída de bola do Botafogo, Lucas fez boa jogada e deu lindo passe para Bebeto Oliveira, que bateu cruzado, sem chances para o goleiro Jefferson.

No final da partida o goleiro botafoguense ainda evitou o segundo gol do River, fazendo linda defesa em chute de Claudinei. Fim de partida, e o Botafogo, que começou a partida com a torcida gritando o nome do clube, deixou o estádio Batistão sob vaias.

FICHA TÉCNICA - RIVER PLATE-SE 1 x 0 BOTAFOGO-RJ

Local: Estádio Lourival Baptista, o Baptistão, em Aracaju (SE)
Data: 23 de fevereiro de 2011 (Quarta-feira)
Horário: 19h30(de Brasília)
Árbitro: Marielson Silva (BA)
Assistentes: Luiz Carlos Teixeira (BA) e Adson Leal (BA)
Cartões amarelos: Antônio Carlos, Somália, Herrera, Márcio Rosário (Botafogo), Éder Richartz, Bruno Ramos, Váldson, Bebeto Oliveira (River)

GOLS:
River Plate -
Bebeto Oliveira, aos 42 minutos do segundo tempo

RIVER PLATE: Max; Gláuber, Bebeto, Váldson e Pedrinho; Wallace, Fernando Pilar (Lucas), Bruno Ramos e Éder Richartz (Fábio Júnior); Bibi (Claudinei) e Bebeto Oliveira
Técnico: Aílton Silva

BOTAFOGO: Jefferson; Alessandro, Antônio Carlos, Márcio Rosário e Márcio Azevedo (Everton); Rodrigo Mancha, Bruno Tiago, Somália e Renato Cajá (Caio); Herrera e Loco Abreu
Técnico: Joel Santana

Leia tudo sobre: botafogocopa do brasil 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG