Estádio carioca tem sofrido frequentemente com quedas de energia e agora está na mira do STJD

EFE
Engenhão já ficou sem luz por cerca de uma hora em jogo da Copa Libertadores
Aos 32 minutos do segundo tempo do confronto entre Botafogo e Grêmio , válido pela sexta rodada do Brasileirão, outra queda de energia ocorreu no Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro. Mas dessa vez o apagão deve ter consequências. O estádio, que também tem sido a casa de Flamengo e Fluminense , pode ser interditado por decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), na sessão da próxima terça-feira, às 18h.

O Botafogo responderá a denúncia junto com a Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) e o delegado da partida. A denúncia está baseada nos artigos 211 (deixar o local do evento sem infra-estrutura adequada) e 191, inciso III (não cumprir o regulamento da competição), do código brasileiro de justiça desportiva. Os dois artigos preveem multa de até R$ 100 mil ao time, mas o 211 também pode causar a interdição do estádio até que as exigências do STJD para a boa realização de partidas sejam atendidas.

A partida contra o Grêmio foi a terceira vez, em dois meses, que a falta de energia interrompeu a realização de jogos. A primeira ocorrência foi em 24 de abril, em jogo válido pela semi final da Taça Rio, entre Flamengo e Fluminense. Quatro dias depois, o Engenhão ficou sem energia durante quase uma hora pouco tempo antes de Fluminense e Libertad-PAR se enfrentarem pelas oitavas de final da Copa Libertadores.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.