Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Borges admite sondagens, garante ficar no Grêmio e projeta volta por cima em 2011

Em fase final de recuperação de lesão na tíbia esquerda, centroavante quer recuperar titularidade no Gauchão

iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237854370889&_c_=MiGComponente_C

Afastado do time de Renato Gaúcho por lesão na tíbia da perna esquerda desde 11 de setembro, o centroavante Borges, 30 anos, parece ter aproveitado o tempo de molho para entender as mudanças que o futuro presidente Paulo Odone implantará no Grêmio. Ao anunciar a renovação de contrato do treinador, em 19 de novembro, o dirigente disse sonhar em comandar um clube com 100 mil sócios.
 
Pois nesta terça-feira, momentos antes de conceder entrevista ao iG, o jogador mostrou ter incorporado o discurso. Sugeriu usar um cartaz que divulga as modalidades de associação ao clube, no saguão da sala de entrevistas do Olímpico, como plano de fundo de um depoimento em vídeo sobre a conquista do Gauchão. "Fica mais bonito", brincou o atleta depois de cumprir a tarefa.
 
Esta identificação com o Grêmio, aliás, foi o motivo alegado por Borges para não ouvir detalhes de sondagens recebidas recentemente pelo seu empresário. Um time da Alemanha e outro do Catar demonstraram interesse em contratá-lo, embora a direção gremista negue tal informação. A única preocupação dele é terminar a recuperação da cirurgia e retomar a titularidade no Estadual da próxima temporada. Confira abaixo os principais trechos da conversa:

Gazeta Press
Se recuperando de cirurgia, Borges pensa apenas em voltar a vestir camisa gremista

 
iG: Apesar de estar machucado, você desperta interesse de outros clubes. Recebeu alguma proposta? Ficará no Grêmio em 2011?
Borges: Sempre há sondagens, chegaram algumas. Porém, quero e vou ficar. Tenho contrato (até 31 de dezembro de 2011). Estou quase recuperado, fazendo fisioterapia e louco para voltar a jogar. Acho que 2011 será meu ano no Grêmio.
 
iG: O que pesou na decisão de ficar? Ela é irreversível?
Borges: Mesmo sem jogar, a torcida não esqueceu de mim. Estou identificado com o clube. Fui o artilheiro do Brasil no primeiro semestre (fez 20 gols em 37 jogos), fiz gol em Gre-Nal e ajudei a ganhar o Gauchão após três anos. Mas sofri duas lesões musculares, isto não acontecia há três anos. Depois veio o problema na tíbia e a primeira cirurgia da minha carreira. Ainda tenho muito a mostrar no Grêmio.
 
iG: Acredita ter perdido espaço no Grêmio dada a boa campanha no returno do Brasileirão?
Borges: Sei da minha qualidade. Vou começar o próximo ano do zero, fazer a pré-temporada e buscar o meu espaço no Gauchão.
 
iG: Mas o André Lima te substituiu bem...
Borges: Muito! Quero que ele fique (contrato termina em 31 de dezembro), afinal, um grupo de qualidade é melhor para todos. Esta disputa é normal no futebol.
 
iG: Foi difícil a recuperação da cirurgia?
Borges: Sim, pensei em várias coisas. A maior dificuldade é aceitar o tempo de parada, mas fiz parte do tratamento em Salvador (cidade natal dele) ao lado da família. Se a cabeça fica bem, o corpo vai tranquilo.
 
iG: O Grêmio consegue garantir vaga na Libertadores?
Borges: Temos chances. Vou torcer pelos companheiros no domingo contra o Botafogo e secar o Goiás depois na Sul-Americana. Se classificarmos, teremos um bom ano. O Grêmio sempre vai longe na Libertadores.

Leia tudo sobre: campeonato brasileirofutebolgrêmio

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG