Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Bolívar diz que Lúcio não pode falar do Inter porque não tem história no clube

Jogadores do clube brasileiro ficaram indignados com zagueiro da Inter de Milão, que começou a carreira na equipe gaúcha. Lúcio disse que Internacional menosprezou o Mazembe

Marcel Rizzo, enviado iG a Abu Dhabi |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882823430&_c_=MiGComponente_C

A insinuação do zagueiro Lúcio, da Inter de Milão, de que o Internacional não levou a sério o Mazembe, da República Democrática do Congo, e festejou ainda em Porto Alegre um título mundial que não havia ganhado irritou os jogadores da equipe brasileira.

Ele não vive o dia a dia do clube aqui, não pode falar de outra equipe. Respeitamos o Lúcio, mas ele não tem história no Inter. Não houve festa alguma. Foi um evento para o Inter bater o recorde de público assistindo a um filme. Apenas isso, disse o capitão Bolívar.

Vipcomm
Bolívar, capitão do Internacional, concede entrevista após o treino desta quinta-feira

Dia 7 de dezembro, um dia antes de a delegação embarcar para o Oriente Médio, a diretoria do Internacional promoveu uma festa no estádio Beira-Rio para exibição do filme Absoluto, que conta a história do título mundial de 2006, no Japão, contra o Barcelona. 27 mil colorados foram ao campo, que teve a presença do elenco. O recorde não foi batido, mas Bolívar pegou o microfone e prometeu voltar com o título do Mundial no dia 20 de dezembro.

Ele tinha que se informar melhor. Entramos com toda seriedade contra o Mazembe. Perdemos o jogo porque eles foram melhores. Nós aqui somos éticos e não ficamos falando de outra equipe, disse Bolívar.

Não conheço o Lúcio, não quero falar dele. Mas tem muita gente falando besteira. Tem time também que nem classificou para a Libertadores e está falando besteira. Estamos aqui com orgulho representando o Inter, disse DAlessandro, claramente se referindo ao Grêmio, rival que desdenhou em Porto Alegre, oficialmente, da derrota do Inter para o Mazembe. Pela primeira vez na história um time sul-americano está fora da decisão de um Mundial de clubes.

Lúcio deixou o Inter em 2000, depois de três anos no clube. Ele foi contratado em 1997, do Guará, do Distrito Federal, e vendido por US$ 9,5 milhões em 2000 para o Bayer Leverkusen, da Alemanha. A diretoria do Inter não entende o motivo da birra do jogador com o clube gaúcho. Ele não gosta de falar do clube.

Neste sábado, o Inter enfrenta o Seongnam Chunma, da Coreia do Sul, pela disputa do terceiro lugar do Mundial de clubes.  O jogo começa 12h de Brasília. Depois, no mesmo Zayed Sports City, a Inter de Milão encara o Mazembe na decisão, às 15h de Brasília.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG