Agora, time carioca corre o risco de terminar até mesmo na segunda colocação do grupo, atrás dos argentinos

Abel Braga não ficou satisfeito com o rendimento do Fluminense na partida
Photocamera
Abel Braga não ficou satisfeito com o rendimento do Fluminense na partida
O céu, que era de brigadeiro para o Fluminense na Copa Libertadores, ficou um pouco mais negro nesta quarta-feira. Apesar da festa da torcida, que lotou o Engenhão, e de já estar classificado às oitavas de final, o time comandado por Abel Braga jogou mal e foi derrotado pelo Boca Juniors por 2 a 0 em casa.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Além de perder os 100% de aproveitamento na competição, o tricolor também perde a primeira colocação geral na fase de grupos, que agora pertence ao Vélez Sarsfiel, líder do grupo 7.

Veja como está a situação de cada grupo na Copa Libertadores

Com gols de Cvitanich e Miño, o Boca Juniors garante a classificação à próxima fase e, de quebra, pode até ficar com a primeira colocação do grupo. Para isso, basta vencer o Zamora, já eliminado, na Bombonera, e torcer por derrota do Fluminense, que encerra sua participação contra o Arsenal de Sarandí, na próxima quarta-feira, às 19h30, no estádio Julio Grondona.

Leia mais: Flu tenta melhor campanha e ignora 'maldição' da Libertadores

Para ainda tentar o primeiro lugar geral, o Fluminense precisa vencer o time argentino e contar com um empate ou derrota do Vélez Sarsfield contra o Defensor, no grupo 7, na última rodada.

O Jogo
Sem Riquelme, o Boca Juniors começou a partida contra o Fluminense com uma postura um pouco diferente da que utiliza habitualmente na Bombonera. Apostando mais na velocidade de transição entre o defesa e ataque, e pressionando a saída de bola do time carioca, os argentinos conseguiram dominar a partida nos minutos iniciais.

Veja também: Estaduais têm públicos de campeonatos obscuros da Europa

Mesmo já classificado às oitavas de final, o Fluminense parecia mais nervoso que o adversário, errando muitos passes na saída de bola, principalmente com os volantes Edinho e Diguinho. Além disso, não conseguia encaixar a marcação no adversário, que assustou aos oito minutos. Cvitanich entrou na área, foi desarmado pela defesa, mas na sobra, Santiago Silva tentou um gol por cobertura, errando por pouco.

O Fluminense respondeu apenas um minuto depois, em bom giro de Fred na área. O chute, porém, parou em Orión. Com o passar dos minutos, o Boca Juniors diminuiu o sufoco na saída de bola do Fluminense, mas o time da casa ainda pecava pela ansiedade com a posse de bola no ataque, desperdiçando várias jogadas ofensivas.

Boca 'cozinha' o Flu e marca
O Boca Juniors foi 'cozinhando' a partida, jogando no ritmo que queria e, em um jogo equilibrado, um erro tricolor foi fatal. Aos 33 minutos, após chutão da defesa do Boca Juniors, Leandro Euzébio disputou no ar com Santiago Silva, mas acabou cabeceando a bola para trás, deixando nos pés de Cvitanich, que escapou da falta de Diguinho e chutou na saída de Diego Cavalieri, calando o Engenhão.

A partida segui sem emoções até os minutos finais. Carlinhos tentou um cruzamento e mandou a bola no travessão, sem querer. Já na última jogada do primeiro tempo, Wellington Nem ganhou da marcação pela direita, e cruzou para cabeçada de Fred. A bola bateu em Schiavi e Orión novamente foi fundamental para o time argentino, salvando uma jogada perigosa.

Na volta do intervalo, o técnico Abel Braga, cansado dos erros na saída de bola, trocou Edinho por Jean. O Fluminense voltou com mais posse de bola, encurralando o adversário, mas o time continuava finalizando pouco e mal, em parte também pela boa marcação do Boca Juniors.

Para complicar ainda mais a missão do Fluminense, Fred sentiu uma lesão na coxa direita aos 16 minutos e precisou ser substituído por Rafael Moura. Sem conseguir penetrar na defesa rival, o time da casa só assustou no segundo tempo aos 21 minutos, após lançamento pelo alto de Deco para Thiago Neves, que chutou girando o corpo.

Abel Braga entrou em cena e tentou aumentar o poder ofensivo do Fluminense, colocando Lanzini no lugar de Bruno e passando Jean para a lateral. Wellington Nem também inverteu de lado, passando a atacar pela esquerda. Quem marcou, porém, foi o Boca Juniors.

Aos 29 minutos da segunda etapa, Mouche avançou pela direita do ataque, tabelou com Santiago Silva e cruzou. Jean falhou no corte, e Mño, que havia acabado de entrar, chutou na saída de Cavalieri, ampliando o placar no Engenhão.

No final do jogo, o Fluminense ainda teve um pênalti marcado em Wellington Nem. Na cobrança, porém, Rafael Moura bateu mal e Orión, um dos destaques em campo, garantiu a vitória e a tranquilidade para os minutos finais da partida.

FICHA TÉCNICA - FLUMINENSE-BRA 0 X 2 BOCA JUNIORS-ARG

Local: Estádio Olímpico João Havelange, o Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 11 de abril de 2012 (Quarta-feira)
Horário: 22h (de Brasília)
Árbitro: Dario Ubriaco (Uruguai)
Assistentes: Carlos Pastorino (Uruguai) e Carlos Changala (Uruguai)
Cartões amarelos: Diguinho (FLU); Roncaglia (BOC)

GOLS
BOCA JUNIORS - Cvitanich, aos 33 minutos do primeiro tempo; Sanchéz Miño, aos 29 minutos do segundo tempo

FLUMINENSE : Diego Cavalieri, Bruno (Lanzini), Leandro Euzébio, Anderson e Carlinhos; Edinho (Jean), Diguinho, Deco, Thiago Neves e Wellington Nem; Fred (Rafael Moura)
Técnico: Abel Braga

BOCA JUNIORS: Agustín Orion, Facundo Roncaglia, Rolando Schiavi, Juan Insaurralde e Clemente Rodríguez; Pablo Ledesma, Cristian Erbes, Walter Erviti (Sanchéz Miño) e Cristian Chávez (Rivero); Cvitanich (Mouche) e Santiago Silva
Técnico: Julio Cesar Falcioni 

Ajude o time do Fluminense a subir no ranking da Torcida Virtual

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.