Maior artilheiro da história do Boca Juniors conquistou duas Libertadores e um Mundial com o clube

O dia 12 de junho de 2011 ficará marcado na história do futebol argentino. O maior goleador da história do Boca Juniors , Martín Palermo, se despediu de um dos estádios mais famosos do mundo neste domingo, no empate com o Banfield em 1 a 1, em La Bombonera. O atacante anunciou logo depois do apito final que irá atuar por mais um jogo, contra o Gimnasia y Esgrima, fora de casa, no próximo fim de semana.

Na partida desta noite, além da despedida do ídolo de sua casa, o Boca teve mais chances que seu adversário no primeiro tempo, mas não conseguiu marcar. Nicolás Colazo tratou de aproveitar o rebote para abrir o placar, logo aos dois minutos da segunda etapa, e foi comemorar com o dono da festa. Já o árbitro, Alejandro Toia, não aguentou uma lesão e teve que ser substituído por Fernando Enchenique para que, pelo menos, pudesse assistir de camorote à segunda metade da última partida do artilheiro no caldeirão boquense.

A festa parecia toda armada para dar adeus ao ídolo dentro do estádio em que reinou, mas Ferreyra, de cabeça, deixou tudo igual aos 38 do segundo tempo e deu números finais ao duelo. Mesmo com o resultado, não foi suficiente para que os torcedores presentes em La Bombonera deixassem de se emocionar com a despedida do goleador, que foi ovacionado por todos no fim do confronto.

Palermo fez 227 gols com a camisa do Boca Juniors e se consolidou como o maior artilheiro da história do clube. O atacante, conhecido como "Loco" pela torcida, teve duas passagens pela equipe de Buenos Aires, todas bastante vitoriosas. Ao todo, foram seis Campeonatos Argentinos, duas Copas Libertadores e um Mundial de Clubes conquistados com a camisa do clube, este último com dois gols sobre o poderoso Real Madrid na final.

Fora da Argentina, teve seu início de carreira no Estudiantes e passagens por clubes espanhóis, como Villareal e Bétis, todas sem muito sucesso. Na seleção, costumava ser convocado na década de 90, apesar de ter protagonizado um episódio bastante lembrando pelos rivais: em uma partida na Copa América de 1999, contra a Colômbia, errou três pênaltis na derrota por 3 a 0, fato lembrado por toda sua carreira.

Palermo despede-se de La Bombonera
Reuters
Palermo despede-se de La Bombonera

Dez anos depois, no entanto, voltou à seleção principal, comandada por Diego Maradona, para se consagrar como grande herói da classificação argentina para a Copa do Mundo de 2010, marcando um gol contra o Peru, na penúltima rodada das eliminatórias sul-americanas.

Este ano, recebeu muitos pedidos para que adiasse sua aposentadoria, inclusive do próprio técnico da equipe, Julio Falcioni, mas não atendeu a nenhum deles. Para seu lugar, Palermo declarou recentemente que deixa a responsabilidade para Lucas Viatri, jovem atacante reserva do agora lendário camisa nove boquense.

O matador também bateu outros recordes em sua carreira, como o maior goleador em torneios da AFA (Associação do Futebol Argentino), com 193 gols, maior artilheiro do Boca em torneios internacionais, com 43, e da Copa Libertadores, com 23 ao todo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.