"Fui acertado, fui atacado, mas a partir de agora não serei mais atingido", desabafou o presidente reeleito da entidade

Joseph Blatter foi reeleito nesta quarta-feira para seu quarto mandato como presidente da Fifa e com isso completará, até 2015, 17 anos à frente da entidade mais importante do futebol mundial. Apesar dessa continuidade evidente, o cartola não se intimida ao falar em uma "nova era". Isso depois de a eleição ser precedida por um mês de polêmicas, com tiroteio de acusações entre o próprio Blatter e outros dirigentes envolvendo uma série de suspeitas de corrupção nos bastidores do esporte mais popular do planeta.

"Posso dizer que agora temos incidentes para marcar um recomeço na Fifa . Estamos em um cenário que exige não somente palavras, mas também ação. Fui acertado, fui atacado, mas a partir de agora não serei mais atingido, não aceitarei mais isso", afirmou durante sua entrevista coletiva após a votação.

Daqui para frente, diz Blatter, uma transparência maior reinará no futebol ao redor do globo e nas ações da Fifa. "Temos a transparência no aspecto financeiro. Pediam para que fizéssemos algo, para que fossemos mais transparentes, e é isso que irei fazer. Já consertamos o problema de acerto de jogos e apostas com um acordo junto à Interpol e criaremos um comitê, que eu chamarei de Comitê de Soluções", comentou, explicando o funcionamento do novo órgão.

"Ainda não posso dizer que foi criado, mas será liderado por personagens da Fifa, com a possibilidade de chamar personalidades de fora para contribuir. Já entramos em contato com algumas delas e esse comitê vai ter ligação direta com o já existente Comitê Executivo", explicou, citando o ex-secretário do Estado americano, Henry Kissinger, e o ex-meia da seleção holandesa, Johan Cruyff, como possíveis membros.

Joseph Blatter prometeu mais transparência por parte da Fifa em seu novo mandato, que vai até 2015
Getty Images
Joseph Blatter prometeu mais transparência por parte da Fifa em seu novo mandato, que vai até 2015
Quanto a uma represália direcionada à Federação Inglesa de Futebol, que formulou um dossiê com denúncias direcionadas a ele , Blatter negou qualquer possibilidade de isso existir, apesar da surpresa com a posição tomada.

"Foi surpreendente, pois a número um das Associações de Futebol, que deveria ser um exemplo, tomou essa posição. Fiquei surpreso, mas agora que fui eleito eu sou o presidente de todas as associações, e eu não vou ficar com mágoa com quem foi contra mim. Todos que votaram contra estão junto conosco", disse.

"Estamos entrando em um novo período para a Fifa. Tolerância zero quanto à corrupção. Isso não é nem um aviso, é basicamente um cartão amarelo a todos, para que fiquem mais atentos e não cometam os mesmos erros", completou.

* com agências

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.