Há a especulação de que Platini teria feito um acordo com Blatter e assumiria a presidência da Fifa em 2013

O presidente Joseph Blatter usou o Twitter nesta quarta-feira para refutar rumores de que poderia deixar o comando da Fifa (Federação Internacional de Futebol) antes do término do seu mandato de quatro anos para ser substituído pelo francês Michel Platini, que atualmente dirige a Uefa (União Europeia de Futebol). Até então, o dirigente evitava usar tal site para realizar comentários políticos.

"A existência de um 'acordo' entre mim e Michel Platini para a presidência da Fifa é um absurdo total", escreveu Blatter. "A sugestão que eu tenho a intenção de deixar o meu mandato de quatro anos antes do seu final é simplesmente ridícula", completou.

O rumor sobre um possível acordo surgiu antes de uma reunião entre integrantes da Uefa no Chipre, que ocorrerá na próxima semana. Os 53 filiados vão debater por dois dias, incluindo discussões sobre a Fifa, um ano após o início de escândalos envolvendo a escolha das sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022 e também na eleição presidencial da associação.

A especulação de que Platini teria feito um acordo com Blatter e assumiria a presidência da Fifa em 2013 já havia aparecido anteriormente. Em maio, antes de Blatter ser eleito sem oposição para um quarto mandato de quatro anos, o rumor surgiu em Zurique. Naquela oportunidade, a história foi descartada e classificada como falsa e impraticável.

Crise na Fifa
No primeiro semestre deste ano, Blatter foi acusado de participar de esquemas de corrupção na Fifa. Apesar disso, o cartola venceu a eleição da entidade, como candidato único em junho. O seu principal oponente, o dirigente Mohamed Bin Hammam, do Catar, foi suspenso pelo Comitê de Ética da Fifa às vésperas do pleito. Em virtude das acusações, o catariano foi banido do futebol .

Bin Hammam é acusado de ter oferecido suborno a outros membos da entidade em troca de votos. Jack Warner, de Trinidad e Tobago, presidente da Concacaf (Confederação de Futebol da América do Norte e do Caribe), também foi suspenso. Os dois teriam organizado uma reunião com colegas a fim de oferecer dinheiro em troca de votos. Em outro episódio, Warner divulgou e-mail redigido pelo secretário geral da Fifa e braço direito de Blatter, Jérome Valcke, no qual o dirigente francês insinua que o Catar comprou votos para ganhar o direito de receber a Copa do Mundo de 2022.

* com agência Estado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.