O processo de escolha das sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022 foi questionado por dirigentes da Inglaterra

O presidente Joseph Blatter disse que a Fifa não recebeu as provas de corrupção no processo de escolha das sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022 que pediu aos dirigentes do futebol inglês.

Ex-presidente da Associação de Futebol da Inglaterra (FA, na sigla em inglês), David Triesman acusou quatro membros do Comitê Executivo da Fifa, incluindo Ricardo Teixeira, presidente da CBF, de ter conduta imprópria e antiética durante a campanha dos países para sediar a Copa de 2018. 

A FA concordou em enviar as suas provas à Fifa e também realizar a sua própria investigação. "Porém, não recebemos as provas do lorde Triesman", disse o presidente da Fifa neste sábado. 

Triesman fez as acusações em uma audiência do parlamento britânico na qual dois membros do Comitê Executivo da Fifa foram acusados de ter recebido dinheiro do Catar para votar no país como sede da Copa do Mundo de 2022. 

Blatter indicou que o denunciante que disse a um jornal britânico que os dois eleitores africanos receberam propinas de US$ 1,5 milhão será ouvido pela Fifa na quarta-feira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.