Suspenso, catariano será julgado pelo Comitê de Ética da entidade em 22 de julho

AP
Bin Hammam, que ia tentar vencer Blatter, retirou sua candidatura e depois foi suspenso
O catariano Mohamed Bin Hammam disse nesta quinta-feira estar decepcionado pela forma como está sendo conduzida a investigação de suborno contra ele pela Fifa (Federação Internacional de Futebol e Associados), mas assegurou que ainda espera ter uma audiência justa.

O dirigente, suspenso da presidência da Confederação Asiática de Futebol , enfrentará o Comitê de Ética da Fifa em 22 de julho para responder às recentes acusações de ter pago suborno durante sua campanha para substituir o suíço Joseph Blatter na presidência da associação. Bin Hammam acabou retirando sua candidatura e Blatter foi reeleito por aclamação .

O catariano e dois dirigentes do futebol caribenho são acusados de participar de um esquema para subornar executivos do Caribe antes da eleição de 1º de junho . Em suas primeiras declarações em mais de um mês, Bin Hammam se queixou nesta quinta-feira em seu blog de "contínuos vazamentos de informações confidenciais" sobre a investigação.

"Apesar de tudo isso, eu ainda busco e espero ter uma audiência justa que não seja influenciada por nenhuma agenda ou motivação política", disse o catariano em seu blog na internet. "Espero que a decisão seja tomada somente pelos membros deste comitê e se baseie somente nos fatos apresentados e não em suposições ou desejos de pessoas externas ao comitê".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.