Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Belluzzo comanda almoço para tentar unir Paulo Nobre e Palaia

Para barrar oposição, presidente tenta chapa única com candidatos que manifestaram vontade de ser presidente do Palmeiras

Danilo Lavieri, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882581767&_c_=MiGComponente_C

Um almoço nesta segunda-feira pode mudar o rumo da eleição no Palmeiras. O atual presidente do clube, Luiz Gonzaga Belluzzo, se encontra com os dois candidatos para a sua sucessão: Salvador Hugo Palaia, atual 1º vice, e Paulo Nobre, que se considera terceira via e carrega a renovação e a profissionalização como sua principal bandeira. A reunião servirá como mais uma tentativa de união entre as partes.

Até agora, ninguém manifestou interesse em desistir da candidatura, mesmo sabendo que a manutenção das duas chapas deve dar a vitória à oposição, que tem Arnaldo Tirone como líder, com apoio dos ex-presidentes Mustafá Contursi, Afonso Della Monica e Carlos Fachina Nunes.

O atual cenário tem Tirone com cerca de 130 votos, contra Nobre, com 80 votos, e Palaia, que tem cerca de 50. O que resta dos quase 280 votantes fazem parte dos que estão indecisos.

Parte deles não vota em Tirone por considerá-lo uma continuação do que foi feito na gestão Mustafá. Outros rejeitam completamente a figura de Palaia. E há ainda um terceiro problema que questiona a possível inexperiência de Nobre para assumir cargo de tamanha importância.

O desânimo toma conta da situação e aumenta a cada dia. Isso por que eles consideram muito difícil a desistência de uma das chapas e, mesmo que isso aconteça, ainda há a grande possibilidade de Tirone sair com a vitória.

Palaia já fez uma reunião antes do anúncio de Paulo Nobre com a intenção de convencer o conselheiro a desistir da chapa. O problema é que o grupo do piloto da rali, chamado Verde Escuro, tem rejeição total a Palaia, principalmente após ele ter assumido o cargo de Belluzzo e destituído a diretoria de futebol.

Não à toa, Genaro Marino e Gilberto Cipullo, que ocupavam esse departamento, estão ao lado de Nobre. Seraphim del Grande, aliado dos dois, também está nesse grupo e já afirmou que prefere votar em Tirone a ter de votar em Palaia.

Leia tudo sobre: futebolpalmeiras

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG