Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Batistuta nega lesão grave, mas admite dores crônicas

Ex-atacante argentino desmentiu informação de que teria problemas para permanecer em pé por mais de 30 minutos

Gazeta |

O ex-jogador argentino, Gabriel Batistuta, negou os boatos de que uma lesão em seu joelho impedia sua permanência em pé por mais de 30 minutos . Entretanto, o ex-atacante afirmou que ainda sente muitas dores, mas que consegue levar uma vida normal graças aos tratamentos médicos a que foi submetido.

A informação de que Batistuta estaria com uma contusão muito séria foi dada por Luca Calamia, que é jornalista do Corriere della Sera e amigo pessoal do ex-jogador. Mesmo assim, o argentino fez questão de desmentir o repórter, mostrando que a notícia divulgada pelo jornal italiano é falsa.

Getty Images
Ex-atacante Gabriel Batistuta confirmou que não consegue mais jogar futebol

"Lamento a notícia, pois ela é falsa e não vejo sentido nela. Muita gente me ligou, preocupou-se, deu-me conselhos, tudo sem sentido. Tive problemas nos tornozelos quando parei de jogar. Uma vez, pedi ao médico para que cortassem minha perna. Ele me operou há três anos. Agora jogo tênis. Não posso jogar futebol, trotar ou dar um pique, mas também estou longe do que Calamia disse", afirmou Batistuta.

Além disso, o ex-jogador analisou o momento crítico que a seleção argentina está passando. Batistuta criticou duramente a postura dos jogadores de seu país, dizendo que a falta de humildade dos atletas é a principal causa para os recentes fracassos da Argentina nas competições internacionais.

"Continuamos pensando que somos os melhores e a realidade não diz isso. A primeira coisa é saber onde estamos parados para reconhecer nossas virtudes e erros. Precisamos traçar metas para ser campeões do mundo e ter uma continuidade de primeiro nível. Acho que não somos os melhores e não estamos nem perto disso", concluiu o ex-atacante.

Batistuta tem 42 anos e encerrou sua carreira como jogador de futebol profissional em 2005. O argentino é o maior artilheiro da seleção de seu país, com 56 gols marcados, e teve passagem marcante pela Roma, onde foi Campeão Italiano.

Recentemente, o ex-jogador foi cogitado para assumir funções administrativas na seleção argentina, mas não foi procurado pela Federação de Futebol oficialmente.

Leia tudo sobre: argentinafutebol mundial

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG