Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Batista diz ter forças para seguir como técnico da Argentina

Após fracasso na Copa América, demissão do técnico tem sido especulada, mas ele mostra otimismo

EFE |

Criticado pelo mau desempenho da Argentina na Copa América, que culminou em uma eliminação para o Uruguai nas quartas de final, o técnico Sergio Batista pode ser demitido na próxima segunda-feira, após reunião do Comitê Executivo da AFA (Associação do Futebol Argentino), segundo a imprensa local.

No entanto, o treinador garantiu nesta sexta que a participação no torneio como equipe anfitriã não foi em vão e que está pronto para dar sequência ao trabalho, visando as Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014, que começam em outubro.

"A Copa América não nos passou em vão. Temos um diagnóstico e faremos toda a autocrítica que for necessário. Não fui nem sou orgulhoso. Acho que demonstrei isso com várias atitudes. Quando tive que mudar, mudei. Tenho forças para seguir em frente", declarou Batista em uma coluna publicada pelo jornal "Clarín", de Buenos Aires.

"Sempre disse que tinha que pensar no Mundial de 2014, que esse é o grande objetivo. Era o desejo de todos ganhar a Copa América. É maravilhoso quando uma equipe sente que compartilha o desejo com tanta gente. Mas meu foco sempre foi o Mundial, e o continua sendo", acrescentou o técnico que, em própria defesa das críticas, destacou o apoio que tem do elenco e de outras pessoas.

"Sentimos a força do grupo a partir da segurança que nossos jogadores nos passos. Sem o respaldo deles, seria impossível ir em busca de algo tão valioso quanto o que queremos. E sentimos isso também através do apoio de muita gente. Com essa força, trabalharemos, melhoraremos e cresceremos. Estamos com toda a confiança e toda a vontade de vencer", comentou.

Batista aproveitou para falar sobre o desempenho de Lionel Messi na Copa América. Para o técnico, mesmo sem ter feito um gol sequer, o atual melhor jogador do mundo pela Fifa "convenceu que não há outro como ele". "Lionel deu tudo de si, mostrou seu talento único e, como sempre, não ficou se exibindo com esse talento, mas o colocou à disposição da equipe. Ficou visível: é um craque generoso", considerou.

Leia tudo sobre: copa américa 2011futebol mundialargentina

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG