Tradição de manter clube fechado no feriado frustra desavisados. Somente jogadores e imprensa tiveram acesso ao treino

As torcidas resolveram fazer a sua parte na manhã desta sexta-feira. Enquanto no Ninho do Urubu um grupo de rubro-negros fez protesto contra o time liderado por Ronaldinho Gaúcho, em São Januário também houve manifestação. Mas esta mais pacífica. Um grupo de aproximadamente vinte vascaínos foi ao clube ver o treino e incentivar o time, mas como é feriado e somente o departamento de futebol abre as portas, não havia visitação.

Clube religioso, o Vasco jamais funcionou na Sexta-Feira Santa. O acesso, porém, é liberado somente para jogadores e imprensa e meia dúzia de porteiros e seguranças. Sem entender a determinação, os torcedores protestaram. Alguns vieram de longe na esperança de levar o filho para tirar foto com seus ídolos. Mas voltaram pra casa frustrados.

Rachão

Em campo, o técnico Cristóvão Borges realizou apenas o tradicional rachão. Juninho Pernambucano e Dedé, ambos fora do clássico, não subiram para o campo. Com a classificação assegurada às oitavas de final na Libertadores após a vitória do Libertad (Paraguai) sobre o Nacional (Uruguai), o time cruzmaltino irá com seus principais jogadores no sábado.

Assim, o Vasco deve entrar em campo com Fernando Prass; Fágner, Renato Silva, Douglas (Fabrício ou Rodolfo) e Thiago Feltri; Rômulo, Fellipe Bastos, Felipe e Diego Souza; Eder Luis e Alecsandro. O zagueiro Renato Silva reforça o coro pela briga no Carioca.

“Estamos bem encaminhados também no Carioca, mas o clássico mexe com a cidade, um jogo à parte, diferente, e sempre vamos querer ganhar para passar um domingo de Páscoa legal com a família. O time vem em um cansaço natural, mas o resultados chegando nos dão ânimo para realizar as coisas. Ficamos felizes para trabalhar e bem dispostos”, disse Renato

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.