Tamanho do texto

Para presidente Sandro Rosell, a denúncia aumentaria ainda mais a tensão entre os dois clubes

Sandro Rosell, presidente do Barcelona , afirmou nesta segunda-feira que não denunciará o técnico português José Mourinho após o incidente na final da Supercopa da Espanha . Na ocasião, o treinador merengue agrediu um auxiliar técnico da equipe catalã .

Segundo o dirigente, o clube optou por contar com um pouco mais de sensatez no desenrolar da discussão. "O corpo pedia uma coisa, mas o bom senso dizia outra. Não podemos continuar assim, porque acabaremos nos matando pelas ruas", explicou Rosell.

Para Rossell, a denúncia aumentaria ainda mais a tensão entre os dois clubes, podendo causar incidentes de maiores proporções com suas respectivas torcidas. "Mourinho já foi julgado pela opinião pública", lembrou o presidente do Barça.

"O próprio Tito Vilanova (auxiliar agredido por Mourinho) pediu que não o denunciássemos, assim como Pep Guardiola. Temos que acabar com esse momento de tensão. Vale lembrar que quando fomos a Madri lançaram pedras em nosso ônibus", destacou.