"Sei que devo a meus torcedores essa partida, mas não posso aceitar a proposta", disse o meio-campista

getty
Ballack como capitão da seleção da Alemanha
O ex-capitão da Alemanha Michael Ballack , de 34 anos, classificou de "farsa" a proposta de pôr fim à sua carreira na seleção com um amistoso contra o Brasil , em agosto. Ele alega que não foi tratado com respeito pelo técnico Joachim Löw.

Na quinta-feira, Löw descartou a possibilidade de convocar novamente o meio-campista do Bayer Leverkusen, dizendo que atualmente vários jogadores talentosos mais novos eram mais importantes para a seleção às vésperas da Euro 2012, que será na Polônia e na Ucrânia.

A Federação Alemã de Futebol propôs a Ballack - que era mantido como o capitão oficial da seleção, apesar de uma lesão - um último jogo internacional (seu 99º), contra os brasileiros, num amistoso que estava programado muito antes do anúncio de quinta-feira.

"O estilo e o conteúdo da declaração (de Löw) são infelizes, exatamente como a forma como ele vem me tratando desde a lesão grave do verão (europeu) passado", disse Ballack, num comunicado nesta sexta-feira. "Chamar um amistoso combinado há muito tempo de partida de despedida é uma farsa, na minha opinião. Sei que devo a meus torcedores essa partida, mas não posso aceitar a proposta".

Ballack marcou 42 gols em 99 partidas pela Alemanha desde que estreou, em 1999. Ele não joga pela seleção desde março do ano passado, quando sofreu uma lesão que o fez ficar de fora da Copa do Mundo do ano passado, na África do Sul.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.