Notas emitidas no clube exibiam nome de gerente financeiro no lugar de Sociedade Esportiva Palmeiras

O sócio palmeirense que consumir algo nas dependências do clube não vai identificar a Sociedade Esportiva Palmeiras no recibo do produto emitido por máquinas da Redecard. Um provável erro administrativo no Palmeiras faz com que tais máquinas emitam recibo com o nome do gerente financeiro do clube, Marcos Bagatella.

O iG teve acesso a dois exemplos de notas emitidas com tal engano. Por criar a indesejável suspeita de que o dinheiro usado pelo sócio esteja sendo redirecionado para Bagatella, tal erro criou desconforto para a gestão do presidente Arnaldo Tirone. Funcionários e diretores trataram de cobrar a operadadora de cartões por uma solução.

Em contato com o iG , Bagatella mostrou certa irritação com o que afirma ser um erro e reconheceu que o fato poderia prejudicar sua imagem, especialmente em um clube onde tudo vira motivo de crise política. O dirigente afirmou que a confusão é da Redecard e pode ter ocorido por ele ser o funcionário responsável pelo contato entre clube e empresa.

Leia também: Nomeação de assessor para Tirone tira apoio de Roberto Frizzo

Cupom fiscal da máquina usa nome de gerente financeiro no lugar do clube
Reprodução
Cupom fiscal da máquina usa nome de gerente financeiro no lugar do clube

"Eu estou com este problema desde a semana passada. Hoje (quarta-feira) falei com o Walter Munhoz (vice-presidente financeiro) e a gente já cobrou a Redecard. Talvez por eu estar em contato com eles e pedido algumas alterações no sistema que tínhamos, o nome fantasia da nota foi alterado. A gente queria um controle maior das notas, para saber se eles estavam cumprindo com todas as obrigações na hora de depositar", explicou Bagatella, que diz ter passado de máquina em máquina para checar qual estava emitindo o recibo com seu nome.

Veja a classificação do Palmeiras no Brasileirão. Time está em queda livre

O gerente financeiro ainda repassou ao iG a explicação da Redecard e um comprovante de que toda a verba estaria sendo direcionada para a conta do Palmeiras, independente da mudança do nome fantasia do clube. A nota emitida pelas máquinas também levavam o CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) que é da agremiação.

Cópia do sistema da Redecard enviada ao iG por Bagatella com dados do Palmeiras
Reprodução
Cópia do sistema da Redecard enviada ao iG por Bagatella com dados do Palmeiras

Walter Munhoz, o vice financeiro, também falou sobre o problema. "Eu recebi algumas reclamações dos sócios. Estamos apurando e conversando com a Redecard para entender o que aconteceu. Deve ter sido algum erro do sistema deles, já que o Bagatella é o responsável pelo contato entre Palmeiras e Redecard."

Membros da oposição palmeirense, de grupos como Fanfulla, enviaram pedidos de explicação a Bagatella e a Munhoz. Não chegaram a desconfiar de fraude, mas afirmaram que o erro é muito grave e pode causar desconfianças caso não seja resolvido.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.