Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

'Bad boy' do futebol inglês ganha fama como filósofo do Twitter

Joey Barton, que até já foi preso, cita até Nietzsche em sua conta no site e tenta mostrar que não é tão cabeça oca quanto parece

BBC |

selo

Getty Images
Joey Barton deixa a prisão, em Liverpool, em janeiro de 2008. Ele foi detido acusado de agressão
O jogador de futebol inglês Joey Barton já passou mais de dois meses atrás das grades e ganhou fama por atos de violência, mas agora se reinventou como um pensador do Twitter, onde possui mais de 466 mil seguidores.

Barton já enfiou um charuto aceso no olho de um colega de equipe e socou certa vez uma pessoa 20 vezes, durante uma noitada.

Com uma trajetória dessas, muitos na Grã-Bretanha o julgavam um brutamontes irrecuperável, mas agora há quem diga que ele não apenas se acalmou, mas se redefiniu como um esportista-filósofo que divulga seus pensamentos via Twitter.

É verdade que a conta de Barton, @Joey7Barton, conta com menos da metade de seguidores de um grande ídolo, como o atacante Wayne Rooney, mas o jogador vem usando o Twitter para divulgar um conteúdo que vai muito além do universo do futebolista moderno, seja citando autores como George Orwell e Friedrich Nietzsche ou letras do grupo de rock The Smiths.

Barton tem, inclusive, sido comparado ao francês Eric Cantona, ex-jogador do Manchester United, que também ganhou fama por alternar arroubos de fúria com citações filosóficas ou poéticas.

O jogador, que acaba de se transferir do Newcastle para o Queens Park Rangers, já divulgou poemas de Virgílio e aforismos de Sêneca e Nietzsche e expressou admiração pela obra do engenheiro da era vitoriana Isambard Kindgom Brunel.

Autoestima
Barton também tem feito comentários de cunho social em seu Twitter. Recentemente, ele comparou sua própria experiência de vida à dos jovens envolvidos com os tumultos de rua que ocorreram em agosto na Grã-Bretanha.

''A violência sempre provém de um lugar de mal entendidos e de autoestima próxima a zero, comigo foi assim, pelo menos''. O twitt recebeu muito destaque por parte da mídia britânica.

''É fácil debochar, mas Barton deveria ser saudado por ir contra o componente anti-intelectual da cultura futebolística inglesa'', afirma Simon Kuper, colunista do jornal Financial Times e autor do livro The Football Men, que traça um painel sobre a personalidade de alguns dos principais jogadores e técnicos do futebol europeu.

Segundo Kuper, ao contrário dos jogadores escoceses, alemães ou holandeses, os ingleses perdem a vontade de aprender assim que começam a jogar futebol.
Por esse motivo, afirma, mesmo que Barton não tenha uma formação tradicional, ele deve ser prezado por tentar se educar.

Getty Images
Joey Barton deixa a prisão, em Liverpool, em janeiro de 2008. Ele foi detido acusado de agressão

''É inspirador que ele queira compartilhar o seu conhecimento. Muitos de nós fizemos isso no bar da universidade, expressando com confiança conceitos que não conhecíamos plenamente. Ele está tentando fazer o mesmo para muitos seguidores no Twitter.''

Para alguns, os comentários do jogador sugerem que ele se transformou da pessoa que socou seu companheiro de equipe Ousmane Dabo em alguém que percebeu que tem problemas e que precisa resolvê-los.

Outros são céticos em relação à suposta mudança de comportamento do atleta, já que seu aparente caráter reflexivo no Twitter contrasta com as confusões em que ele se meteu inclusive na atual temporada do futebol inglês.

Leia tudo sobre: inglaterrabartonfutebol mundial

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG