Rodrigo Moledo foi contratado após derrota na Copa do Brasil e já viveu experiência na Polônia

Em cinco jogos, um gol marcado. O aproveitamento seria baixo para um atacante, mas para um zagueiro se tornaria bem mais interessante. São os números de Rodrigo Moledo , zagueiro que está começando a receber mais oportunidades no Internacional.

Entre para a Torcida Virtual do Inter e convide seus amigos

Fã de Lúcio , ex-Inter, atualmente na Inter de Milão , o zagueiro tem um início de história parecido com o do jogador da seleção brasileira. Ambos foram contratados pelos gaúchos após perderem na Copa do Brasil por times modestos.

Grêmio tem a maior torcida do Twitter. Amplie a do Inter

Lúcio trocou o Guará-DF pelo Beira-Rio em 1997. O time dele havia levado 7 a 0 do Internacional. Moledo chegou em 2010. No ano anterior, o União Rondonópolis-MT, clube que ele defendia, chegou a vencer o Inter no jogo de ida da fase de mata-mata na mesma competição.

“Já era pra ter vindo antes, mas não deu certo a negociação”, revela ele, em entrevista exclusiva para o iG .

Sem acerto com o Inter em 2009, o zagueiro partiu para uma aventura. Foi jogar no futebol polonês . Vestiu por cinco meses a camisa do Odra Wodzislaw . O clube fazia parte da primeira divisão do país, mas tinha fortes dificuldades financeiras, tanto que acabou rebaixado e fechou as portas no ano seguinte.

“Foi uma experiência boa, morei sozinho, valeu pela experiência, fiquei cinco meses. O futebol é bem diferente, bem tático, usam duas linhas de quatro, tem uma pegada muito forte”, comenta.

Após a experiência frustrada, voltou para o Rondonópolis, para logo depois ser contratado pelo Inter ainda em 2010.

Zagueiro revela passado artilheiro
Jefferson Bernardes/VIPCOMM
Zagueiro revela passado artilheiro

Pelo time B, no início de 2011, conseguiu sequência de jogo, assumindo a titularidade. Logo acabou integrado ao grupo principal e começou a receber chances no Brasileirão. Foram cinco partidas, quatro como titular. Chama a atenção pelo alto número de desarmes. Foram 17, média de 4,25 por partida. Números que o colocam perto dos melhores roubadores de bola do Brasileirão. Willians , do Flamengo , lidera com 5,6 de média.

“É mais a minha característica. Tenho um poder forte na marcação. Quero seguir com essa pegada forte. Tem que ficar atento e se antecipar na jogada. Tenho que aproveitar as oportunidades. Quero seguir ganhando ritmo de jogo e ser titular”,explica.

Zagueiro revela passado artilheiro
Jefferson Bernardes/VIPCOMM
Zagueiro revela passado artilheiro
Na última rodada, na vitória sobre o América-MG ( Veja os gols ), Moledo foi o autor do primeiro gol do Inter. Não foi novidade para ele. Antes de escolher jogar na defesa, ele era centroavante .

“Quando era moleque, na escolinha, jogava no ataque. Fazia muitos gols. Acabei mudando no primeiro teste que fiz. Fui aprovado na meia, passei para volante e depois zagueiro”, conta.

O primeiro time foi na categoria de juvenil, no Bonsucesso-RJ. Ele ainda teve rápidas passagens por São Caetano e Santos . Antes do Rondonópolis, do futebol polônes e do Inter, o zagueirão jogou a segunda divisão catarinense pelo Camboriú.

Domingo, contra o Palmeiras, ele receberia mais uma chance de seguir se afirmando, mas acabou sentindo lesão muscular na coxa. Passará por teste para saber se poderá jogar. Seguirá tentando manter a média de desarmes e, se deixarem, marcando mais gols.

“Se precisar, estamos ali”, avisa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.