Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Atlético-PR vence clássico de virada e afunda o Paraná

Time do técnico Geninho se credenciou para tentar tirar título do Coritiba. Já o rival briga para não cair

Gazeta Esportiva |

nullEm um clássico cheio de alternativas, recuperações e expulsões, o Atlético Paranaense bateu o Paraná por 3 a 2 na Vila Capanema, mantendo o time vivo no Campeonato Paranaense 2011. Os paranistas continuam na zona de rebaixamento e vão viver quatro rodadas sob tensão, enquanto o Atlético ainda sonha em alcançar o Coritiba na briga pelo título.

Depois de uma primeira etapa que passou em branco, o Tricolor precisou de quatro minutos após o intervalo para abrir o placar, com Kelvin, que aproveitou cruzamento para tocar para o fundo das redes. Mas aos 13 minutos, Mádson, de calcanhar, deixou tudo igual. Um minuto depois, Léo acabou com a comemoração, marcando de cabeça. Na pressão, o Furacão arrancou a igualdade com Mádson, aos 32 minutos e virou, aos 44 minutos, com Adaílton.

Na próxima rodada, o Paraná Clube vai a Ponta Grossa, onde enfrenta o bom tome do Operário, no Estádio Germano Krüger. Já o Atlético Paranaense terá pela frente o Cianorte, o Estádio Olímpico Albino Turbay.

O jogo
A partida começou veloz, com as duas equipes procurando sair na frente no placar. Logo no primeiro lance, Mádson partiu em velocidade, mas deixou a bola escapar antes de penetrar na defesa. Aos quatro minutos, Robston cobrou falta próxima a área, mas isolou. Chute a gol mesmo veio aos sete minutos, com Diego, que mandou um petardo para grande defesa de Renan Rocha.

O jogo era equilibrado e o Furacão buscava o gol principalmente em jogadas de Paulo Baier, como aos 15 minutos, em cobrança fechada de escanteio que chegou a tocar o travessão. A primeira confusão aconteceu aos 17 minutos, com Alê acusando Léo de agressão. A arbitragem mandou seguir. Aos 20 minutos, Guerrón levantou a cabeça e arriscou o chute, para fora, mas com perigo.

O Rubro-Negro subiu de produção mas, com Paulo Baier bem marcado, tinha dificuldade em criar. Aos 29 minutos, Wagner Diniz recebeu passe açucarado, na cara do gol, e perdeu o domínio. Dois minutos depois, Guerrón se preparava para cabecear dentro da área e Lima apareceu no caminho para interceptar o cruzamento. Mais uma vez o equatoriano no ataque, aos 40 minutos, com um chute forte que obrigou Thiago Rodrigues a fazer a defesa em dois tempos. Na resposta, Paulo Henrique arrematou e Renan Rocha salvou.

Na segunda etapa, os times voltam sem alterações. Porem, o Tricolor mostrava mais vontade e, aos quatro minutos, Lima cruzou e Kelvin completou bonito para abrir o placar no clássico. Aos nove minutos, Paulo Baier tentou empatar em cobrança de falta e carimbou a barreira paranista, nocauteando Rodrigo Defendi. Mas, aos 13 minutos, Mádson, de calcanhar, fez um golaço para deixar tudo igual.

Não deu tempo nem para comemorar. Um minuto depois, Paulo Henrique fez o cruzamento e Léo apareceu para desviar de cabeça para as redes, colocando o Paraná novamente na frente. Curiosamente os três jogadores que fizeram os gols, tiraram a camisa para comemorar e foram amarelados. Aos 21 minutos, Mádson chutou de fora da área e levou perigo. Para variar, Luiz Camargo recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso.

Com um jogador a mais, o técnico Geninho colocou o Furacão no ataque com a entrada de Adaílton. Aos 30 minutos, Mádson pegou sobra de bola e chutou. Foi fominha e mandou pela linha de fundo. Mas, aos 32 minutos, não teve perdão, e o baixinho arriscou de fora da área para empatar. Na comemoração, foi provocar a torcida paranista e foi expulso. Com um a menos para cada lado e jogadores desgastados, o ritmo caiu. Só que, aos 44 minutos, Adaílton mostrou força para driblar a defesa e finalizar para o gol.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG