Times medem forças pela Copa do Brasil, na Arena da Baixada, tentando apagar frustração nos estaduais

Um jogo para salvar o semestre. Assim é encarado o compromisso entre Atlético-PR e Vasco , na noite desta quarta-feira, na Arena da Baixada, em Curitiba, pela Copa do Brasil. A partida marca a estreia das equipes nas quartas de final do torneio. Após perderem o estadual para seus principais rivais, uma boa vitória na busca pelo inédito título nacional será um alento para ambos. A bola rola às 21h50. A vaga às semifinais será decidida em São Januário, dia 12.

Felipe, Dedé e Ramon querem esquecer de vez a derrota para o Flamengo
Maurício Val / Fotocom.net
Felipe, Dedé e Ramon querem esquecer de vez a derrota para o Flamengo
O Vasco é o mais abalado. A derrota nos pênaltis para o Flamengo , domingo, custou o fim de um incômodo jejum que já dura oito anos no Campeonato Carioca. Depois de fazer a melhor campanha na Taça Rio – o segundo turno da competição estadual -, o adeus veio nos tiros livres. Bernardo , Fellipe Bastos e Elton chutaram para fora. Já o Furacão viu também o maior rival, o Coritiba, levar a melhor na decisão do Campeonato Paranaense . A frustração foi na semana anterior, mas dentro da Arena da Baixada.

Tais ingredientes cercam o confronto de logo mais de grande expectativa. O Vasco é um clube religioso, mas não supersticioso. Se fosse, poderia entrar em campo temeroso. Além de enfrentar de novo um time rubro-negro, na única vez em que se encontraram na Copa do Brasil, deu Atlético-PR: em 1997, pelas oitavas de final. O Clube de São Januário disputou a final do torneio apenas uma vez, em 2006. Contra o Flamengo – perdeu as duas partidas.

“Para a nossa sorte, temos uma Copa do Brasil pela frente para esquecermos o estadual. Não podemos ficar mais pensando no Flamengo. A derrota faz parte do passado. Precisamos entrar com calma para fazermos um bom resultado e jogar no Rio tranquilos”, observou Felipe.

Paulo Baier retorna esta noite contra o Vasco
Gazeta Press
Paulo Baier retorna esta noite contra o Vasco
No Atlético, o técnico Adilson Batista quer o Furacão pressionando o adversário. O treinador quer se valer do temor que os visitantes têm quando jogam na Arena da Baixada. A ordem é evitar tomar gol em casa e pressionar o Vasco durante os 90 minutos. O treinador poderá contar com os retornos do lateral-direito Wagner Diniz , do meia Paulo Baier e dos atacantes Guerrón e Nieto, que não atuaram no último sábado contra o Rio Branco, pelo Campeonato Paranaense. Os quatro foram liberados pelo departamento médico e estão à disposição do comandante.

"Vamos fazer de tudo para que a gente consiga essa vitória. Estamos treinando bem e a gente espera fazer um grande jogo", disse o meia Paulo Baier, pedindo o apoio da torcida. "Precisamos que nosso torcedor nos empurre e nos ajude”, acrescentou.

O técnico do Vasco, Ricardo Gomes, não tem muito o que mudar na equipe. Sua única dúvida está na lateral direita. Fágner não deve começar jogando. O improvisado Allan deve ser mantido. O titular, recuperado de uma torção no joelho, voltou nas duas últimas partidas, mas tem ficado no banco. Gomes quer que o jogador ganhe confiança e ritmo de jogo. Quanto a Eduardo Costa , livre de lesão muscular, a briga é com Fellipe Bastos. Gomes não esconde que quer contar com a experiência do volante que já defendeu a Seleção Brasileira, mas vai esperar o jogador recuperar o condicionamento.

FICHA TÉCNICA – ATLÉTICO-PR x VASCO

Local : Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data : 3 maio de 2011, quarta-feira
Horário : 21h50 (Horário de Brasília)
Árbitro : Wilton Pereira Sampaio (DF)
Auxiliares : Marrubson Freitas (DF) e Fábio Pereira (TO)

ATLÉTICO-PR : Renan Rocha; Rômulo, Manoel, Rafael Santos e Paulinho; Deivid, Robston, Paulo Roberto e Paulo Baier; Guerrón e Madson
Técnico : Adilson Batista

VASCO : Fernando Prass; Allan (Fágner), Dedé, Anderson Martins e Ramon; Fellipe Bastos, Rômulo, Felipe e Diego Souza; Alecsandro e Eder Luis
Técnico : Ricardo Gomes

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.