Clube mineiro ficou cinco anos sem ter um goleador entre a saída de Guilherme e a chegada de Tardelli

Além de lamentar a saída do ídolo Diego Tardelli , a torcida do Atlético-MG tem motivo para ficar preocupada quanto ao novo dono da camisa 9. Isso porque o clube passou um jejum de cinco anos sem ter um artilheiro sequer. Depois que Guilherme, agora técnico do Ipatinga, deixou o time, foram cinco anos sem ter o principal goleador de qualquer competição.

Poucos clubes no Brasil tiveram tantos artilheiros como teve o Atlético-MG. Só de Campeonato Mineiro foram 36 vezes, além de seis no Campeonato Brasileiro e duas na Copa do Brasil. Diego Tardelli ainda foi artilheiro do futebol brasileiro em 2009, com 42 gols durante a temporada.

Acostumada com artilheiros, a torcida do Atlético-MG teme viver mais uma longa fase sem ter um goleador. Entre o Campeonato Mineiro de 2003, com Guilherme artilheiro, e o Estadual de 2009, vez de Diego Tardelli, nenhum atleticano chegou ao primeiro lugar no número de gols marcados. Marinho, Roni e Alex Mineiro foram alguns atacantes que passaram pelo clube nesse período com muitos gols, mas sem o topo da artilharia.

Com a saída de Diego Tardelli, até que o Atlético-MG contrate um substituto, dois jogadores dentro do próprio elenco se credenciam ao posto deixado pelo então camisa 9. Ricardo Bueno e Magno Alves são os atleticanos que já sentiram o gosto da artilharia. Bueno foi goleador do Campeonato Paulista do ano passado, enquanto Magnata foi goleador do Brasileirão em 2000 e do Campeonato Japonês em 2006.

Experiente, Magno Alves faz elogios ao jogador que saiu, mas garante que ainda ficaram muitos jogadores de qualidade no Atlético-MG. “É uma perda, se falando do Tardelli, em nível de Seleção Brasileira e que nos ajuda muito. É uma perda, mas aqueles que continuarem vão dar o máximo dentro de campo. Importante que quem tem entrado tem feito gols. O ataque está fazendo gols e é isso que a torcida quer ver. Titularidade é consequência daquilo que você faz dentro de campo”.

Mas no primeiro coletivo sem Diego Tardelli, o escolhido por Dorival Júnior foi Ricardo Bueno , e não Magno Alves. Jogador bastante contestado desde a sua chegada ao clube, e maio do ano passado, o ex-atacante do Oeste-SP garante estar melhor preparado em 2011. Até por isso, ele se mostra tranquilo e sabe que ter de superar uma pressão por entrar no lugar do artilheiro.

“Era o nosso ídolo aqui, os torcedores e todo mundo gostava dele. É claro que vai ter uma cobrança muito grande pelo jogador que está saindo. Mas isso é normal, a cobrança seria com qualquer jogador que entrasse. Então tenho que manter a tranquilidade e mostrar o meu trabalho, que tudo vai dar certo”, disse Ricardo Bueno, que esteve perto do Palmeiras, mas foi mantido no Atlético-MG pelo técnico Dorival Júnior.

Artilheiros em 2011

Ataque mais eficiente do futebol brasileiro na temporada , com média superior a três gols por partida, o Atlético-MG perdeu o seu principal goleador. Diego Tardelli já tinha marcado seis gols nas sete partidas da equipe mineira no ano. Agora, o artilheiro atleticano em 2011 é somente Neto Berola, que também já marcou seis gols. Magno Alves aparece em segundo lugar, com quatro gols, enquanto Ricardo Bueno marcou apenas uma vez.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.