Equipe de Dorival Júnior sempre ficou menos com a bola diante de Cruzeiro e América-MG, pelo Mineiro

O Atlético-MG disputou seis clássicos no Campeonato Mineiro e saiu com um saldo positivo, embora o título da competição tenha ficado com o Cruzeiro. Foram três partidas contra o América-MG e outras três com o Cruzeiro com quatro triunfos e duas derrotas. Duas vitórias diante de cada rival e um número que chama atenção. Os dados do Footstats, que estão disponíveis em aplicativo para iPad e iPhone , mostram que em todos os clássicos o Atlético-MG teve menos posse de bola.

Tenha de graça as estatísticas no seu iPhone e faça comparações entre times e jogadores

Talvez a maior posse de bola celeste no clássico que definiu o Campeonato Mineiro seja uma boa explicação para a derrota do Atlético-MG. Enquanto o time alvinegro ficou com a bola nos pés 42% do tempo, o Cruzeiro ficou 58%. Aliás foi a maior diferença na posse de bola entre todos os clássicos disputados pelo Atlético-MG. Os mais equilibrados foram contra o América-MG, pela primeira fase e o jogo de volta da semifinal, sempre 51 a 49 para o time americano.

Nos outros dois clássicos contra o Cruzeiro, ambos vencidos pelo Atlético-MG, a diferença na posse de bola foi 55 a 45 na primeira fase e 52 a 48 no primeiro jogo da final. Além dos clássicos, somente contra o América-TO que o Atlético-MG teve menos posse de bola. Apesar de ter goleado por 7 a 1, a equipe de Dorival Júnior ficou com a bola em 45% do tempo, contra 55% do time de Teófilo Otoni.

Mas nas demais partidas contra as equipes do interior o time atleticano sempre teve superioridade na posse de bola, até mesmo nas fracas exibições contra Ipatinga e Uberaba, que resultaram em dois empates que tiraram o time alvinegro da liderança da primeira fase.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.