Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Atlético-MG quer vencer para afastar fama de freguês do Botafogo

Atlético-MG venceu o Botafogo uma vez em 21 jogos e Richarlyson ficou incomodado com gritos de "freguês"

Victor Martins, iG Belo Horizonte |

Gazeta Press
Richarlyson ficou incomodado com os gritos de "freguês" da torcida do Botafogo
No jogo desta terça-feira, pela Copa Sul-Americana, contra o Botafogo , além da classificação, o Atlético-MG joga para afastar um rótulo que o time pegou nos últimos anos, o de freguês da equipe carioca. Nos últimos dez anos foram 21 partidas, por Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana. Com exceção do jogo pelo segundo turno do Brasileirão de 2008, o Atlético-MG não conseguiu vencer. Foram 14 derrotas e seis empates.

Siga o iG Atlético-MG no Twitter e receba todas as informações do seu time

Desde o 2 a 1 com dois gols do zagueiro Leandro Almeida, no Mineirão, em 2/11/2008, o Atlético-MG enfrentou o Botafogo em mais seis oportunidades, com cinco derrotas e somente um empate. Apesar de ter um grupo totalmente diferente desde quando começou o tabu, em 2002, os atuais jogadores do Atlético-MG estão incomodados com o rótulo de freguês.

Entre para a Torcida Virtual do Atlético-MG e convide seus amigos

O volante Richarlyson , no clube desde janeiro, disputou duas partidas contra o Botafogo com a camisa atleticana. E com duas derrotas, uma pela Sul-Americana e outra pelo Brasileirão, o volante quer mudar o histórico recente do confronto.

“Nós, jogadores, não estivemos em todas as partidas que o Botafogo ganhou do Atlético, mas, de um certo modo, a gente fica chateado, se cobrando quando vê a torcida, com 20 minutos, gritando ‘é freguês, é freguês’. Acima de tudo, a gente tem que ter um aditivo a mais e mostrar para ele que
esse retrospecto tem um momento que vai acabar. Espero que nesta terça-feira a gente faça isso”.

Richarlyson está confiante na classificação do Atlético-MG , apesar de não ser um tarefa nada fácil. O time mineiro precisa vencer por pelo menos dois gols de diferença ou então vencer marcando três ou mais gols. No entanto o tamanho do obstáculo que tem pela frente, Richarlyson não se intimida.

“Do mesmo modo que eles foram lá e fizeram dois, a gente pode ganhar de 2 a 0 ou até de 3 a 2. É um jogo super normal, como outros, mas que a gente tem que buscar forças”.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG