Diretor do time mineiro ironiza baianos e diz que punição de R$ 60 mil é na verdade de R$ 300 mil

O diretor de futebol do Atlético-MG , Eduardo Maluf, confirmou que o Bahia terá que pagar uma multa por ter escalado o atacante Jobson na partida contra o time mineiro , neste domingo. Segundo o dirigente, o valor da multa é de R$ 300 mil e não de R$ 60 mil como chegou a ser divulgado por pessoas ligadas ao time baiano.

Jobson pertence ao Botafogo, e, no início da temporada, foi emprestado ao Atlético-MG até o final do ano. O time de Belo Horizonte repassou o atleta para o Bahia e estipulou em contrato que o jogador não poderia atuar contra o clube mineiro. Segundo Maluf, o Bahia tinha a opção de não escalar o atacante, mas como o jogador participou da partida, o Atlético-MG vai exigir o pagamento.

"O Jobson foi emprestado ao Bahia, nós pagamos R$ 300 mil pelo empréstimo do jogador e quando reunimos para que o Jobson fosse para o Bahia, colocamos no contrato uma multa de R$ 300 mil, o Bahia colocou o Jobson e vai pagar a multa. Era uma opção que eles tinham e estava no contrato", afirmou.

Caso o Atlético-MG conquistasse os três pontos, o valor arrecadado com a multa seria dividido entre os jogadores do clube mineiro a título de premiação, mas como a partida terminou empatada em 1 a 1 , o dinheiro vai mesmo para o caixa atleticana. Maluf ainda ironizou os dirigentes do Bahia, ao declarar que acredita que a direção do clube baiano não leu o contrato, já que não sabiam nenhum o valor da multa.

"Primeiro, acho que eles não sabem nem o valor da multa. O jurídico do Bahia leu tão bem o contrato que divulgou que o valor da multa é R$ 60 mil. Eu estou achando que eles não leram o contrato, porque é de R$ 300 mil. Se eles não sabem nem o valor eles não sabem nem o conteúdo do contrato", comentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.