Quem tem jogado como visitante levou a melhor nos últimos três clássicos e Cruzeiro quer manter a escrita

Desde o fechamento do Mineirão, em junho do ano passado, os clássicos de Minas Gerais passaram a ser disputados fora de Belo Horizonte. O principal duelo do estado, entre Atlético-MG e Cruzeiro já teve dois palcos desde então. Foram duas partidas na Arena do Jacaré e uma em Uberlândia. Por motivos de segurança e por conta da capacidade do estádio em Sete Lagoas, apenas 18 mil lugares, os clássicos foram disputados com apenas uma torcida, assim como vai ser neste domingo.

No que depender do retrospecto, melhor para o Cruzeiro no jogo deste domingo. Desde que o clássico passou a ser disputado por apenas uma torcida, sempre o visitante levou a melhor. São duas vitórias do Atlético-MG, uma na Arena do Jacaré e outra no Parque do Uberlândia, ambas por 4 a 3. Já o Cruzeiro venceu uma vez, em Sete Lagoas, por 1 a 0. O volante Marquinhos Paraná prega união para o Cruzeiro manter a escrita de triunfos dos visitantes.

No primeiro clássico do ano o Atlético-MG venceu por 4 a 3, com três gols de Diego Tardelli
AE
No primeiro clássico do ano o Atlético-MG venceu por 4 a 3, com três gols de Diego Tardelli
“Nos dois últimos clássicos diante da nossa torcida nós perdemos. Temos que esquecer essas coisas ruins do passado e entrar focados somente na vitória. Estaremos só nós, jogadores, comissão técnica e alguns membros da diretoria. Temos que nos unir para conseguir esse objetivo”.

Para não deixar o rival ampliar sua vantagem, o Cruzeiro já joga por dois empates, o goleiro Renan Ribeiro quer quebrar a maldição com uma vitória e fala até em fechar o time na segunda partida, quando apenas torcedores do Cruzeiro vão estar presentes na Arena do Jacaré.

Acostumado com decisões no Mineirão, o meia-atacante Mancini vai mais fundo. Apesar da rivalidade entre Atlético-MG e Cruzeiro crescer a cada dia, para o jogador atleticano o clássico perde um pouco de seu charme sendo disputado longe da capital. A falta das duas torcidas num grande estádio incomoda Mancini, que quer superar o fantasma da torcida única neste domingo.

“Eu já tive essa experiência na fase de classificação, o mando era do Cruzeiro. No meu modo de ver o clássico perde um pouco de glamour. Sem o Mineirão você perde um pouco da atmosfera que envolve o clássico, apesar da Arena do Jacaré ter um campo muito bom. O estádio é bacana, mas para um clássico deixa um pouco a desejar. Mas temos de encarar a situação, nosso mando é na Arena do Jacaré e temos de superar mais esse obstáculo”.

*Colaborou Frederico Machado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.