Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Atlético-MG acaba com Torcedor-Colaborador pelo sócio torcedor

Projeto era baseado na doação de dinheiro ao clube pela conta de luz e foi extinto depois de cinco anos

Victor Martins, iG Belo Horizonte |

Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro
Alexandre Kalil prepara o sócio torcedor do Atlético-MG, que vai jogar no Independência
O torcedor mais atento do Atlético-MG que contribuiu com o clube através da conta de luz por cinco anos percebeu que a fatura de janeiro não cobrou o valor doado ao time de coração. Sem comunicar aos Torcedores-Colaboradores, a diretoria atleticana decidiu colocar fim ao projeto que foi tratado como a redenção financeira do clube, pelo então presidente Ziza Valadares. A saída do Torcedor-Colaborador abre espaço para o Atlético-MG relançar seu sócio torcedor .

Veja também: Confira a classificação atualizada do Campeonato Mineiro

Durante esse período os atleticanos doaram dinheiro mensalmente para o clube através da conta da luz. O valores variavam entre R$ 5, R$ 10, R$ 20 e R$ 30 e 8% do valor ficava com a ONG Educart. A atual diretoria do Atlético-MG, no entanto, não revela quais os valores foram arrecadados e gastos com o projeto.

Leia também: Atlético-MG pode ter melhor início de Mineiro nos últimos 17 anos

Mas através dos balanças financeiros divulgados, fica claro que o clube faturou quase R$ 3,5 milhões entre janeiro de 2007 e dezembro de 2010. O balanço de 2011 ainda não foi divulgado, o que deve fazer esse número superar os R$ 4 milhões. Outro número mantido sob sigilo é a quantidade de associados que o projeto atingiu.

Siga o Twitter do iG Atlético-MG e receba notícias do time em tempo real

Em fevereiro de 2007, logo no começo do Torcedor-Colaborador, o Atlético-MG espalhou alguns outdoors por Belo Horizonte para agradecer os mais de 16 mil colaboradores que aderiram ao projeto. O número recorde foi de 17.161, ainda em 2007. Só que o fraco desempenho do time, que chegou a frequentar a zona de rebaixamento um ano depois de voltar da Série B atrapalhou o crescimento.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Enquanto o dinheiro investido foi usado para melhorar a estrutura da Cidade do Galo, como a construção de mais 12 quartos no hotel usado pelas categorias de base, o time estava mal no Brasileiro. Com isso, ainda em 2007, o número de Torcedores-Colaboradores caiu para 12 mil. Apesar de faturar mais de meio milhão no último ano, o clube não informou quantos torcedores participavam do projeto na data de seu encerramento, em dezembro do ano passado.

Leia tudo sobre: Atlético-MGAlexandre Kalil

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG