Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Atletas rechaçam revanche, mas estão engasgados com o Boavista

Na "estreia" do dublê de preparador e técnico Ronaldo Torres, Fluminense encara algoz da Taça Guanabara

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

Na teoria, o jogo deste sábado, contra o Boavista, às 18h30, no Engenhão, pela quarta rodada da Taça Rio, não tem nada de especial para o Fluminense. Mas, na prática, não é bem assim. Além de ser o primeiro compromisso após a conturbada saída de Muricy Ramalho do clube, o adversário foi o responsável pela eliminação da equipe na semifinal da Taça Guanabara. Ao longo da semana, nas Laranjeiras,os jogadores até descartaram um clima de vingança, mas ao mesmo tempo não conseguiram esconder que o time de Saquarema ainda está engasgado.

Após conversar com o elenco no vestiário por cerca de 30 minutos antes do treino de sexta-feira, o técnico interino Ronaldo Torres adotou o mesmo discurso de seus comandados e afirmou que em nenhum momento ouviu qualquer comentário nesse sentido. Talvez o dublê de técnico e preparador físico estivesse fazendo cena. Ou então não tenha tomado conhecimento das declarações do apoiador Marquinho.

“Eu falo por mim. Ainda não digeri aquela derrota. Achei que apresentamos um melhor futebol e merecíamos ganhar. Mas o Fluminense não entrará em campo com o sentimento de vingança. Temos de ter organização para que tudo dê certo”, disse o jogador.

Mas não foi apenas o apoiador que falou sobre o assunto durante a semana. Criticado até pelo presidente do clube nesse início de temporada, Gum disfarçou, disse que não encarava a partida como revanche, mas, ao comentar sobre a semifinal do primeiro turno, deixou escapar que a derrota, nos pênaltis, ainda incomoda.

“Claro que lamentamos não ter vencido eles na semifinal da Taça Guanabara. Mas infelizmente uma vitória agora não vai nos devolver a vaga na final contra o Flamengo. Por isso, temos que pensar apenas em vencer para continuarmos na briga pela Taça Rio”, explicou Gum.

Com clima de vingança ou não, o fato é que a partida para Ronaldo Torres será especial. Embora não seja treinador, ele pede apoio do torcedor e afirma que sabe o que fazer. “Eu confio demais nesse grupo e por isso aceitei o pedido do presidente. Me sinto lisonjeado por assumir essa responsabilidade. Apesar de não ser treinador, eu conheço um pouco a parte tática e o Fluminense não vai ser um bando em campo”, afirmou.

Ao assumir a função de treinador pela segunda vez na carreira, o preparador físico viveu uma semana atípica. Na segunda-feira, ao mesmo tempo em que liberava Deco e Fred para o jogo na sua função de origem, o treinador interino ficou em cima do muro na hora de responder se eles então jogariam por estarem liberados.

Ronaldo sorriu, encarnou o papel que lhe foi atribuído e disse que ainda era cedo para dizer. Decisão sábia, já que no dia seguinte o meia Deco pediu para treinar mais e ficar fora do jogo. Boa notícia mesmo, só o retorno de Fred após cerca de um mês parado. O atacante entrou em campo pela última vez justamente contra o Boavista, na semifinal da Taça Guanabara.

Com sete pontos em três partidas, o Fluminense ocupa a segunda colocação do grupo B e precisa da vitória para não correr o risco de ser ultrapassado pelo Olaria, em terceiro com seis, e que enfrenta o América, neste sábado, às 16h, em casa.

FICHA TÉCNICA - FLUMINENSE x BOAVISTA

Local: Engenhão (RJ)
Data: 19 de março de 2011, sábado
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Antonio Frederico Schneider
Assistentes: João Luiz Coelho de Albuquerqre e Francisco Pereira de Souza

FLUMINENSE: Ricardo Berna; Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Diogo, Diguinho, Marquinho e Conca; Emerson e Fred (Rafael Moura). Técnico: Ronaldo Torres.

BOAVISTA: Thiago, Everton Silva, Gustavo, Bruno Costa e Paulo Rodrigues; Julio César, Joilson, Tony e Erick Flores; André Luis e Frontini. Técnico: Alfredo Sampaio.


 

Leia tudo sobre: Campeonato Carioca 2011FluminenseMarquinho

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG