Tamanho do texto

Independiente venceu a final da Sul-Americana nos pênaltis, após fazer 3 a 1 nos 90 minutos, e classificou o clube gaúcho, que tinha assegurado a quarta posição no Brasileirão

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882354689&_c_=MiGComponente_C

Não fosse o microfone, os amigos Rafael, Fernando, Giovani e Paula teriam formado um dos tantos grupos de gremistas que se reuniram, nesta quarta-feira à noite, em Porto Alegre, para torcer pelo Independiente, secar o Goiás e ver o Grêmio classificar-se pela 13ª vez para Libertadores. Porém, além de torcedores, esta turma tem outra característica em comum: eles formam a equipe da Grêmio Rádio.

Até a rádio oficial do clube gaúcho entrou na torcida contra o time goiano na final da Sul-Americana. Afinal, o quarto lugar no Brasileirão só levaria o Grêmio ao torneio mais importante do continente caso o Independiente fosse o campeão. Então, ao abrir uma transmissão histórica, às 21h51min, o narrador Rafael Pfeiffer anunciou: Hoje não estamos só com o Grêmio. Entramos em campo com o Independiente.

Hector Werlang
Vibração no segundo gol do Independiente tomou conta da transmissão

O iG acompanhou os bastidores da transmissão, que pela primeira vez desde 2007, ano de estreia da emissora via internet ( www.gremio.net ), não foi de uma partida do Grêmio. Uma das conclusões: por uma causa maior, até a rivalidade Gre-Nal fica de lado.

Ao apresentar a partida, Rafael lembrou o uniforme vermelho do time argentino, mesma cor do Internacional, e admitiu a noite de exceção. Foi quando repórter Fernando Potrick trouxe a primeira boa notícia.

O Independiente atuará com o segundo fardamento. E ele é azul. A noite promete, previu o jornalista.

Fernando tinha razão e o mesmo otimismo dos gremionautas, ouvintes da emissora que participam da transmissão pelo Twitter e MSN. A maioria das mensagens, sempre lidas por Paula Menezes, projetava os confrontos com o uruguaio Liverpool para os dias 27 de janeiro e 3 de fevereiro, pela pré-Libertadores.

Mas faltavam 90 minutos. Da sala de imprensa do Espaço Rudi Armim Petry, no Olímpico, distante mais de mil quilômetros do Estádio Libertadores de América, em Avellaneda, os gremistas jornalistas começaram a trabalhar. E a sofrer.

Fernando se levantava a cada ataque argentino ou goiano. Rafael, mais calmo, descontava e tensão ao brincar de abrir e fechar a tampa de uma caneta. Giovani coçava a cabeça. E Paula... quase roeu totalmente as unhas.

Depois de comemorar cada um dos três gols argentinos e lamentar o único do Goiás, resultado que levava a partida para a prorrogação, a equipe lembrou as transmissões de jogos do Grêmio. Aos 18 minutos do segundo tempo, quando Rafael Moura fez grande jogada e chutou para a defesa de Navarro, a turma berrou: Victor!, numa referência ao goleiro tricolor.

O placar continuou o mesmo, a prorrogação não foi suficiente para apontar o campeão e a decisão saiu nos pênaltis. Até que Tuzzio fez o gol que decidiu o placar de 5 a 3, o título do Independiente e a vaga do Grêmio na Libertadores.

O Grêmio está na Libertadores. Começa hoje a luta pelo tricampeonato, berrou o narrador Rafael.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.