Tamanho do texto

Alan disse que Javi Garcia desejou a morte dos seus filhos durante o jogo deste domingo. O jogador espanhol negou ter feito isso

Pela 10ª rodada do Campeonato Português, o Benfica entrou em campo no domingo precisando apenas da vitória para assumir a liderança, mas empatou com o Braga e perdeu a chance. Nesta segunda-feira, uma polêmica agitou os bastidores do futebol lusitano após o empate entre as equipes, quando o atacante brasileiro Alan, do Braga, acusou o espanhol Javi Garcia de racismo.

"Ele me chamou de preto de m... e ainda colocou a mão na frente, porque não tem coragem para dizer aquilo. Podem perguntar para o Djamal, ele também foi ofendido. O Javi desejou a morte dos meus filhos, mas eu tenho que lembrar que o capitão do Benfica é negro, o lateral esquerdo é negro e 70% da torcida também", disparou o soteropolitano, há três temporadas no Braga.

O líbio Djamal, citado por Alan, confirmou ao site Blagolo, que também foi alvo das injúrias racistas de Javi: "Sim, confirmo. Ele me chamou preto e fez o mesmo ao Alan. Não sei explicar porque ele fez isso, e com a mão na boca para escapar das câmeras".

O brasileiro não teme a gravidade da acusação mas, no final da tarde desta segunda-feira, Javi Garcia tratou de desmentir e repudiar as acusações, alegando que Alan é um jogador que simula muitas faltas dentro de campo e, portanto, não é confiável fora dele. Em comunicado publicado no site oficial do Benfica, o espanhol se disse um jogador leal e incapaz do tipo de atitude do qual foi acusado.

Confira a declaração de Javi Garcia em nota do site do Benfica
"Tenho respeito por todos os jogadores, como profissionais e colegas, infelizmente, pelo que acabo de ser informado, respeito alguns até demais. Sou um jogador leal, incapaz de fazer aquilo que hoje alguém me acusa. Estranho até, com acusações tão graves, que o jogador em causa só tenha lembrado delas hoje. As declarações que foram produzidas são totalmente falsas e reveladoras do caráter do jogador que as produziu, o mesmo que no ano passado simulou uma agressão dentro de campo. Quem simula dentro de campo é bem capaz de fazer o que ele fez hoje fora dele".