Volante afirma que jogadores precisam ficar mais em casa para voltar a vencer no Brasileirão

A fase não é boa dentro de campo e não pode ser de festa fora dele. É assim que o experiente volante Marcos Assunção pensa sobre o momento que vive no Palmeiras . Em entrevista coletiva conedida nesta terça-feira, na representação do elenco após a derrota por 3 a 0 para o Internacional, o jogador afirmou que a hora pede programas mais caseiros, para evitar confronto com torcedores mais nervosos.

"A fase preocupa sim, mas nós jogadores temos de saber que, quando a fase está ruim, a melhor coisa é ficar em casa, tranquilo. De repente, você encontra alguns torcedores e eles vão querer tirar satisfação com você e foi isso o que aconteceu com o Vagner Love. Eles querem que o time ganhe. Por isso, não é o momento de ficar na rua, de balada. Tem de ficar em casa, ir para o treino, voltar pra casa. Isso é um ato de respeito até com os torcedores. Não adianta o time estar assim e a gente querendo festa, balada e diversão. Não é momento de diversão e sim de ficar tranquilo. É pensar nas coisas ruins para que elas não voltem a acontecer", alertou o camisa 20.

Siga o Twitter do iG Palmeiras e receba as notícias do seu time em tempo real

Marcos Assunção discute com integrante de organizada do Palmeiras em Porto Alegre
AE
Marcos Assunção discute com integrante de organizada do Palmeiras em Porto Alegre
Assunção, no entanto, disse que ainda não precisou conversar com nenhum dos jogadores e apenas expressou sua opinião na entrevista. Ele ainda recomenda que os atletas jovens tenham ainda mais cuidado com os torcedores nervosos.

"Não tivemos esse tipo de conversa. Estou falando eu, Marcos Assunção. Tenho 35 anos, já passei por várias fases boas e ruins no futebol e sei como funciona. Os jovens tem de saber que o momento não é de festa. É pensar na fase que a gente está vivendo. Não é hora de festa ou de balada, isso pode acontecer quando o time ganha, mas quando perde você vai sempre encontrar um torcedor que vai estar na razão dele, perguntando o motivo de você estar ali. Para que você vai na balada se divertir se no trabalho as coisas vão mal? É o que eu penso, e os mais jovens deveriam pensar igual", completou o atleta que chegou a discutir na 3ª rodada do 1º turno, em Porto Alegre.

Coloque seu time em 1º lugar no ranking da Torcida Virtual do iG Esporte

Apesar dos resultados não tão satisfatórios, Assunção afirmou que todos precisam trabalhar e disse que ainda acredita que o Palmeiras poderá ser campeão ou conquistar uma vaga para a Libertadores usando o Brasileirão deste ano. Ele ainda ressaltou que não é preciso fugir da torcida nos jogos em São Paulo e ainda acredita que jogar em casa é uma boa.

"O Palmeiras ainda não está nesse ponto de dar 15 minutos e a torcida pegar no nosso pé. Contra o Inter, eles incentivaram o tempo todo, protestaram só quando levamos o segundo gol. Estávamos criando varias ocasiões, mas a torcida está na razão. A gente respeita o torcedor, ele paga o ingresso. Não sentimos nenhum tipo de pressão jogando em são Paulo, só depois do segundo gol. Se ganhássemos não teria nada disso. Então o que temos de fazer é ganhar", finalizou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.