Tamanho do texto

Para Frontini, equipe de Saquarema não vai se contentar apenas com vaga na decisão da Taça Guanabara

O artilheiro do Boavista na Taça Guanabara, com seis gols, não apareceu tão bem na semifinal do primeiro turno do Campeonato Carioca. Porém, após eliminar o Fluminense nos pênaltis depois de um empate por 2 a 2 no Engenhão, Frontini falou em nome do grupo para deixar claro: a zebra quer vencer Flamengo ou Botafogo, que decidirão a outra vaga neste domingo.

"O time é bom, não chegou por acaso. É bom ter nossos nomes marcados, mas não adianta chegar e não beliscar o título. Nosso objetivo é ser campeão", definiu o centroavante, colocando o respeito a qualquer adversário como uma das chaves para derrubar favoritos - a equipe já havia eliminado o Vasco na fase de grupos.

"Nada disso teria sido feito sem a nossa união. Não é fácil jogar em time pequeno no Rio. Mas a gente começou a respeitar as equipes sem pensar se era Flamengo, Fluminense, Nova Iguaçu. São sempre 11 adversários. E nosso trabalho está sendo sério, com os pés no chão", elogiou Frontini.

O atacante argentino, contudo, admitiu a surpresa que o triunfo do Boavista causa. "Se eu não estivesse jogando a Taça Guanabara, eu também apostaria no Fluminense, mas hoje estou deste lado e sei das nossas peças", argumentou o argentino.

O franco atirador na decisão do primeiro turno do Estadual no Rio de Janeiro, entretanto, crê que poderia ter definido a vaga com mais tranqüilidade. "O juiz deixou de dar dois pênaltis, e isso nos prejudicou porque já poderíamos ter vencido no tempo normal. Se fosse para o Fluminense, tenho certeza que ele daria", chiou Frontini, que prova com o estudo dos batedores do Fluminense que pênalti não é loteria.

"A gente sabia até o canto que o Fred e o Gum iriam bater", comentou o jogador, apontando dois nomes que nem chegaram a cobrar penalidades - Fred saiu no intervalo e Gum bateria após a quarta cobrança, quando Rodriguinho desperdiçou e sentenciou o tropeço tricolor. Conca também perdeu.