Clube londrino gostaria de prorrogar acordo por mais duas semanas, mas manterá acordo com New York Red Bulls

A cogitada extensão do empréstimo de Thierry Henry ao Arsenal não irá acontecer. Após afirmar que o jogador, que pertence ao New York Red Bulls, dos EUA, poderia ficar na equipe londrina até o fim de fevereiro, o técnico Arséne Wenger voltou atrás e admitiu que o atacante francês só irá cumprir o vínculo atual, que vai até a metade da próxima semana.

Leia também: Arsene Wenger é cotado para assumir a seleção francesa após a Euro

"Eu adoraria que Henry ficasse por mais duas semanas, mas ele tem que voltar. Ele é o capitão dos Red Bulls, então não seria justo ele só aparecer no primeiro dia da temporada. Aceitamos no começo que ele voltaria no dia 16 de fevereiro e vamos manter nossa palavra", afirmou Wenger.

Maior ídolo recente do Arsenal, Henry fez, até aqui, apenas cinco partidas na sua segunda passagem pelo clube e anotou dois gols. Logo na estreia, no dia 9 de janeiro, ele saiu do banco de reservas para fazer o tento da vitória sobre o Leeds United, pela Copa da Inglaterra.

Apenas mais dois jogos separam o francês Henry da sua segunda despedida do Arsenal
AFP
Apenas mais dois jogos separam o francês Henry da sua segunda despedida do Arsenal

"Ele ficou feliz por estar aqui e nossos jogadores também se contentaram por tê-lo por perto. Nos treinamentos a evolução foi a cada semana. Henry agora está de volta a um nível físico comparável a todos os outros jogadores. Sua movimentação nos trabalhos me fez pensar que é uma pena ele não atuar mais pela seleção francesa", declarou o compatriota Wenger.

Henry só participará de mais dois jogos pelo Arsenal antes de retornar aos EUA: contra o Sunderland, no dia 11, pelo Campeonato Inglês , e ante o Milan , dia 15, pela partida de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa , todos eles fora de casa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.