Contra a vontade do treinador Arsene Wenger, meia francês foi negociado por 25 milhões de libras

O Arsenal acertou com o Manchester City a venda do meia Samir Nasri. Esta não era a vontade do técnico Arsene Wenger, mas o clube preferiu vendê-lo neste momento por 25 milhões de libras (R$ 66 milhões) a perdê-lo de graça no fim da temporada, quando acabaria o contrato do jogador francês. A única pendência para o anúncio oficial é o exame médico.

Wenger disse várias vezes que manteria o jogador. Inclusive, ele treinou nesta terça-feira de manhã para a partida de volta contra a Udinese, na próxima quarta-feira, pela fase preliminar da Copa dos Campeões da Europa. Se Nasri entrasse em campo, não poderia disputar esta edição do torneio por nenhuma outra equipe.

"O verão (europeu) foi muito difícil porque negociamos Cesc Fabregas e Samir Nasri permanentemente. Perdemos dois grandes jogadores e este é o lado triste da história, mas, a algum momento, isto tem que acabar, pois precisamos nos concentrar no futuro", afirmou à BBC .

Agora, Wenger tem oito dias para trabalhar no mercado e repor também a perda de Fabregas, vendido ao Barcelona por cerca de 29 milhões de libras (R$ 76 milhões). No entanto, o nível de investimento vai depender da vaga na fase de grupos da Liga dos Campeões.

Entre os interessados, estão os zagueiros Scott Dan, do Birmingham, Phil Jagielka, do Everton, e Gary Cahill, do Bolton, os meias Eden Hazard, do Lille, e Jadson, do Shakthar Donetsk.

Nasri chegou ao estádio Emirates em 2008 por 15,8 milhões de libras (R$ 41 milhões) após se destacar no Olympique de Marselha.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.