Nesta sexta, meia participou de um circuito com os preparadores físicos do clube e tem chances de participar do jogo decisivo

A grande expectativa no Santos durante os treinos que antecedem a final da Copa Libertadores da América, contra o Peñarol (Uruguai), na próxima quarta-feira, no Pacaembu, é pela volta do meia Paulo Henrique a equipe. Em processo de recuperação, Ganso já declarou que irá fazer o possível para estar em campo diante dos uruguaios. O zagueiro Edu Dracena e o volante Arouca torcem para que essa recuperação seja completa e o camisa 10 possa estar em campo na decisão.

"O momento é de superação. Todo jogador quer estar em campo numa final, ainda mais quanto se trata de Copa Libertadores. Mas fiquei a semana inteira fora (Dracena viajou com o grupo para Montevidéu) e não vi os treinos do Ganso. Também não sei como ele está se sentindo. Porém, se ele estiver apto, 100%, a sua presença seria importante. Só que é difícil para mim falar se ele vai jogar ou não", afirmou o defensor e capitão santista.

Arouca seguiu a mesma linha de raciocínio de Edu Dracena. O volante também está esperançoso de que Paulo Henrique possa participar contra o Peñarol, nem que seja de uma parte do jogo. "Parece que o Ganso está bem. Ele ainda não trabalhou com a equipe, mas esperamos que ele esteja apto para nos ajudar na final. Não sei se vai para o jogo como titular ou entrar durante a partida. Os médicos devem saber disso e o Muricy vai saber o que fazer, buscando o melhor para o time", concluiu.

O meia treinou em separado nesta sexta, no CT Rei Pelé. Paulo Henrique participou de um circuito com os preparadores físicos do clube, onde fazia corridas de curta distância e movimentos leves com bola.

A tendência é que esse processo seja acelerado pela comissão técnica nos próximos dias, incluindo Ganso em atividades com o restante do elenco, para tentar promover o retorno de Ganso a tempo da final da Libertadores.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.