Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Argentino, motorista da seleção é gremista e aposta no Brasil

Contratado pela organização da Copa América, funcionário leva equipe para estádios em dias de jogos

Marcel Rizzo e Paulo Passos, enviados iG a Córdoba |

O homem que conduz a seleção brasileira é gremista. Não, não falamos do técnico Mano Menezes, ídolo do time gaúcho, e, sim, do motorista Leonardo Fernandez, natural de Buenos Aires. Há 20 dias, ele está a serviço da seleção brasileira na Argentina. Foi ele que levou a equipe aos jogos e treinos fora de Los Cardales, onde a seleção está concentrada.

Fernandez chegou a colocar um distintivo do Grêmio pendurado no retrovisor do ônibus da seleção. O objeto chamou a atenção do goleiro Victor. “Ele ficou todo feliz e perguntou porque eu sou gremista”, conta o motorista. “O Mano ainda não viu, mas vou mostrar para ele”, completa.

A paixão pelo time gaúcho surgiu há dez anos, quando o motorista trabalhava levando argentinos de Buenos Aires para Santa Catarina. No meio do caminho, ele dormia em Porto Alegre. “Numa noite dessas teve jogo e um amigo me convidou para ir ao Olímpico. Desde então, virei gremista”, diz Fernandez, que na Argentina torce para o San Lorenzo.

Fã de Maradona e Messi, o motorista afirma não acreditar na seleção local na Copa América. “Até apostei com amigos que vai dar Brasil”, revela. “Nós não temos técnico. Você viu que o Batista – treinador da Argentina – muda o time toda hora?”, diz Fernandez.

A “torcida” pela seleção brasileira também tem um motivo financeiro. “Se o Brasil perder eu não fico sem emprego. Mas a hora-extra aqui é boa”, admite.

Paulo Passos / iG
"Até apostei com amigos que vai dar Brasil", diz Fernandez

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG