Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

¿Argentina é a favorita da Copa América¿, diz Pelé

Competição ocorre em julho, na Argentina, e será a primeira oficial de Mano Menezes no comando da seleção

Marcel Rizzo e Paulo Passos, iG São Paulo |

Entrevista com Pelé sempre rende pelo menos uma frase polêmica. E desta vez o ex-jogador resolveu apontar a Argentina como favorita à Copa América. A seleção de Messi jogará o torneio em casa. Essa será a primeira competição oficial de Mano Menezes comandando a seleção brasileira e a última antes da Copa das Confederações de 2013, no Brasil – como país sede da Copa do Mundo de 2014, a seleção não vai participar das Eliminatórias, que começam em setembro de 2011.

“Por jogar em casa, a Argentina é a favorita. Lógico que a maioria dos convocados atua na Europa, já se conhece bem, o que acaba equilibrando. Mas a Argentina é a favorita”, disse Pelé.

Ele preferiu não comentar o início de trabalho de Mano Menezes, justamente pelos poucos jogos do treinador à frente da seleção – são cinco jogos, três vitórias (EUA, Irã e Ucrânia) e duas derrotas (Argentina e França). Pelé preferiu, então, falar sobre a importância de Ronaldo, recém-aposentado, para a seleção brasileira. A pergunta foi: depois de Pelé, o “Fenômeno” foi o grande nome do Brasil?

“Ele foi um dos grandes jogadores, mas atuou na época da comunicação. O Garrincha é lembrado até hoje e não tinha comunicação. O Tostão, até o Falcão, que foi o Rei de Roma e também não teve comunicação, são lembrados. Então acho que não podemos esquecer desses grandes jogadores”, disse Pelé.

Pelé cobrou a formação de meias armadores, segundo ele o principal problema brasileiro atualmente. “Temos o Ganso e mais ninguém. Os grandes meias no futebol brasileiro são estrangeiros, argentinos (Montillo, do Cruzeiro, e Conca, do Fluminense). O Brasil sempre exportou jogador e agora está tendo que repatriar, mas atletas em fim de carreira ou que não estão tão bem na Europa”, disse, citando os casos de Rivaldo, contratado pelo São Paulo aos 38 anos, e Ronaldinho Gaúcho, que tenta readquirir o bom futebol no Flamengo. 

Ainda sobre Ronaldo, Pelé disse que o aconselhou, em meados de 2009, a encerrar a carreira "por cima". Em julho daquele ano Ronaldo tinha sido o destaque corintiano nas conquistas do Campeonato Paulista e da Copa do Brasil. "Você foi campeão, há anos não fazia um gol de cabeça com a sua altura, fez um gol de cabeça, e não parou", comentou Pelé, na época. "Agora ele está triste porque não foi campeão (da Libertadores). É difícil parar", disse Pelé, que deixou o Santos em 1974, aos 34 anos.

Leia tudo sobre: seleção brasileiraPeléArgentinacopa américa 2011mano

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG