Tamanho do texto

Partida recente entre as seleções causou polêmica e foi colocada sob investigação pela Fifa

selo

A Argentina anunciou nesta quinta-feira que fará um outro amistoso com a Nigéria, desta vez em Bangladesh, em setembro, dias depois que o primeiro jogo foi colocado sob investigação pela Fifa, por causa de uma suspeita de manipulação de resultado. A equipe argentina foi goleada por 4 a 1, em Lagos, na semana passada.

A empresa responsável pela organização do amistoso afirmou nesta quinta que Lionel Messi, o melhor jogador do mundo, poderá participar da partida, ao contrário do que aconteceu no primeiro amistoso. A seleção argentina jogou sem seus principais jogadores.

Pelo contrato, a Argentina deverá contar com pelo menos 80% dos seu time principal no amistoso. "Mas não somos obrigados a incluir Messi", afirmou a porta-voz da empresa, Fernanda Nuñez. Rumores apontaram que a seleção receberia US$ 4 milhões pela partida, mas a empresa negou o valor. "Este número é escandaloso".

O amistoso da semana passada está sendo investigado pela Fifa por conta de uma suspeita sobre o gol argentino, quando a Nigéria já goleava por 4 a 0. Houve um grande número de apostas prevendo que a partida teria mais um gol. E foi o que aconteceu quando o árbitro Ibrahim Chaibou marcou um pênalti aos 53 minutos do segundo tempo, por conta de um suposto de toque de mão na bola dentro da área. Nenhum jogador foi incluído na investigação.

A seleção argentina também entrará em campo em setembro para enfrentar a Venezuela, no dia 2, em Calcutá, na ¿?ndia. Os dois confrontos, incluindo o amistoso com a Nigéria, serão os primeiros depois da disputa da Copa América.